Antidepressivos podem aumentar em 15% risco de desenvolver catarata

A catarata, turvação da lente do olho que geralmente ocorre em pessoas mais velhas, é rotineiramente tratada com cirurgia.

root

11 Março 2010 | 02h52

A catarata, turvação da lente do olho que geralmente ocorre em pessoas mais velhas, é rotineiramente tratada com cirurgia.

A catarata, turvação da lente do olho que geralmente ocorre em pessoas mais velhas, é rotineiramente tratada com cirurgia.

O uso de antidepressivos pode ter relação a um risco maior de se desenvolver catarata. Segundo um estudo conduzido por pesquisadores da Universidade da Columbia Britânica, Vancouver Coastal Health Research Institute e Universidade McGill, pacientes que usam inibidores seletivos de recaptação de serotonina (usados no tratamento de depressão, transtornos de ansiedade e personalidade) – também chamados de ISRSs – têm pelo menos 15% mais tendência a apresentar o problema.

Para o estudo, os pesquisadores analisaram um banco de dados com mais de 200 mil residentes do Quebec, Canadá. Embora tenha estabelecido uma relação entre a classe de drogas, remédios específicos desta classe e catarata, outras pesquisas ainda devem recolher informações adicionais para confirmar o resultado. Este trabalho, por exemplo, não observou tabagistas, e o fumo pode ser fator de risco para o problema.

Embora o trabalho indique fortes evidências desta relação, a equipe é categórica em dizer que, entre ter catarata ou depressão, precisamos optar pelo tratamento da última – já que as consequências podem ser fatais, ao passo que uma catarata é tratável e relativamente benigna.


O grau de risco varia de acordo com tipos específicos de ISRSs. Tomar fluvoxamina (Luvox) conduziria a chances 51% maiores de um paciente necessitar de cirurgia para catarata. A venlafaxina (Effexor), risco 34% maior. Nenhuma associação pode ser feita entre a fluoxetina (Prozac), citalopram (Celexa) e sertralina (Zoloft) e catarata.

Segundo os pesquisadores, o tempo para o desenvolvimento de cataratas durante o uso ISRSs foi de quase dois anos.

Antidepressivos ISRSs são a terceira classe de medicamentos mais prescritos no mundo, bloqueando a captação do neurotransmissor serotonina pelos neurônios do cérebro, estimulando os impulsos entre os neurônios. A catarata, uma turvação da lente do olho que geralmente ocorre em pessoas mais velhas, são rotineiramente tratadas com cirurgia.

Veja também:

Células-tronco recuperam visão de roedores com retinite pigmentosa
Má influência: molécula transforma células protetoras em assassinas
Pessoas com paralisia facial podem voltar a piscar com músculo artificial
De olhos bem abertos: esteroides contra retinopatia diabética