Varíola do macaco dá insights para tratamento de doenças pulmonares

A varíola do macaco é mais prevalente na África, mas alguns surtos nos Estados Unidos estão chamando a atenção de especialistas.

root

28 Outubro 2010 | 11h16

A varíola do macaco é mais prevalente na África, mas alguns surtos nos Estados Unidos estão chamando a atenção de especialistas. Crédito: Wikipedia.

A varíola do macaco é mais prevalente na África, mas alguns surtos nos Estados Unidos estão chamando a atenção de especialistas. Crédito: Wikipedia.

O estudo de um vírus exótico – a varíola do macaco – que recentemente causou três surtos nos Estados Unidos revela pistas sobre como ele pode danificar os pulmões durante a infecção. As descobertas sugerem abordagens diferentes para tratar doenças pulmonares como bronquite e enfisema em seres humanos.

A infecção não apenas aumenta a produção de proteínas envolvidas na inflamação como diminui a produção de proteínas que mantêm o tecido pulmonar intacto e lubrificado. “Ao iniciar este estudo, pensávamos que a varíola do macaco causava a doença principalmente pela indução da inflamação no pulmão, o que leva à pneumonia”, diz Joseph Brown, pesquisador do Pacific Northwest National Laboratory. “Nós ficamos surpresos ao ver o quanto este vírus destruiu a integridade dos pulmões”.

A varíola do macaco e a varíola “tradicional” estão intimamente relacionadas ao vírus que causa pústulas contagiosas em humanos, embora nos macacos seja menos perigosa. Contudo, ela age de forma igualmente perigosa em animais, o que faz com que os macacos sejam um bom modelo para estudos.

“Se os pesquisadores confirmam eventos semelhantes nas pessoas, os médicos poderão dar tensoativos – lubrificantes que auxiliam na troca gasosa”, explica Josj Adkins, co-autor do estudo. “As descobertas podem levar a estudos em novas áreas relacionadas aos pulmões, de forma geral”.

Varíola do macaco

As infecções por varíola do macaco estão aumentando desde que a varíola foi erradicada na década de 1970. Até 10% das pessoas infectadas com o vírus morrem em função da doença. O contágio pode ocorrer pelo contato com animais infectados, como roedores e macacos. Nos Estados Unidos, a transmissão pode ter acontecido via cães de estimação importados.

Especialistas atribuem o aumento de casos ao fim das vacinações contra a varíola, que forneciam uma proteção contra a varíola do macaco em função da natureza similar de ambos os vírus.

Veja também:

Pesquisadores planejam ensaios clínicos com nova vacina contra o HIV
Inibidor de enzima específica pode deter infecção do vírus da hepatite C
Medicamento contra Aids pode ser eficaz contra o citomegalovírus
Alergia a medicamento pode ser resposta à reativação de vírus