Voyager 1 chega na "borda" do Sistema Solar após 33 anos de odisseia

Rumo ao espaço interestelar, sonda cruza uma área em que a velocidade do plasma que é emanado do Sol diminui para zero.

root

14 Dezembro 2010 | 10h05

Concepção artística da Voyager perto do espaço interestelar. Crédito: NASA/JPL.

Concepção artística da Voyager perto do espaço interestelar. Crédito: NASA/JPL.

A nave Voyager 1 da NASA chegou, após 33 anos de odisseia, na borda do Sistema Solar – um ponto distante em que não há movimento solar. Agora, caminhando para o espaço interestelar a 17,4 bilhões de quilômetros do Sol, cruza uma área em que a velocidade do gás quente ionizado, ou plasma, que emana diretamente para fora de nossa estrela diminui para zero. Os cientistas suspeitam que o vento solar foi direcionado para o lado em função da pressão do vento formado entre as estrelas.

O evento é uma das maiores conquistas da Voyager 1 na passagem pela heliosfera, a turbulenta aérea ao redor do Sol. “O vento solar virou a esquina”, diz Ed Stone, cientista do projeto conduzido pelo Instituto de Tecnologia da Califórnia em Pasadena, Califórnia, nos EUA. “A Voyager 1 se aproxima do espaço interestelar”.

O Sol emite uma corrente de partículas carregadas que formam uma bolha conhecida como heliosfera em torno do nosso sistema solar. O vento solar viaja a uma velocidade supersônica, até atravessar uma onda de choque – o choque de terminação. Neste ponto, o vento solar diminui drasticamente, esquentando na heliosfera.


Lançada em setembro de 1977, a Voyager 1 cruzou o choque de terminação na heliosfera em dezembro de 2004. Os pesquisadores usaram dados do Voyager 1’s Low-Energy Charged Particle Instrument para deduzir a velocidade do vento solar, chegando ao resultado zero.

Os cientistas acreditam que a Voyager 1 não cruzou a heliosfera para o espaço interestelar. A passagem para o espaço interestelar significaria uma queda brusca na densidade de partículas quentes e um aumento na densidade de partículas frias. Agora, colocam os dados em um modelo de estrutura de heliosfera para tentar estimar melhor quando a nave vai chegar lá. Os pesquisadores estimam neste momento que a Voyager 1 irá atravessar a fronteira em aproximadamente quatro anos.

Voyager 1 e Voyager 2

A irmã Voyager 2 foi lançada em 20 de agosto de 1977 e alcançou uma posição de 14,2 bilhões de quilômetros do Sol. Ambas as sondas estão viajando ao longo de trajetórias e velocidades diferentes: a nave 1 é mais rápida – com uma velocidade de 17 quilômetros por segundo – e a irmã se move a uma velocidade de 15 quilômetros por segundo. É possível que nos próximos anos a Voyager 2 encontre o mesmo tipo de fenômeno que a Voyager 1 encontrou agora.