A MAIOR DE TODAS AS ESTRELAS

A MAIOR DE TODAS AS ESTRELAS

Herton Escobar

21 Julho 2010 | 13h58

bigfuckingstars-ESO

FOTO: ESO/P. Crowther/C.J. Evans

.

Grande notícia do mundo das celebridades espaciais: Astrônomos descobriram a maior estrela já observada no Universo. Ela atende pelo nome R136a1, é azul e tem 300 vezes a massa do nosso Sol — que parece gigantesco do nosso pequenino ponto de vista terrestrial, mas na verdade é uma estrelinha amarela das mais ordinárias.

Até agora, os astrônomos acreditavam que o limite de tamanho para estrelas era 150 massas solares. Erraram só pela metade. E notem como no parágrafo acima eu disse “a maior estrela já observada” … ou seja: pode ser que haja estrelas ainda maiores soltas por aí, que nós só não vimos nem medimos até agora. O Universo é infinitamente maior do que a nossa capacidade de conhecê-lo.

Agora imagine só: uma estrela com 300 vezes a quantidade de gás do Sol! (poderíamos dizer que ela é 300 vezes maior, mas massa e tamanho não caminham necessariamente juntos na mesma proporção … na verdade, é possível um objeto ter muito mais massa e ser muito menor do que outro….. vide os buracos negros, que têm tanta massa espremida num espaço tão pequeno que nem a luz consegue escapar de dentro deles … mas essa é uma outra história. Outro exemplo prático: duas folhas de papel bem amassadas tem o dobro da massa de uma folha de papel mal amassada, mas podem ser muito menor do que a outra).

A cor das estrelas é determinada pela sua temperatura, que por sua vez é determinada pela sua massa. Curiosamente, quanto maior e mais quente uma estrela, mais azul ela é. E quanto menor e menos quente, mais vermelha. A ilustração abaixo faz uma comparação entre uma anã vermelha (com 10% da massa do Sol), uma estrela amarela (igual ao Sol), uma anã azul (com 8 vezes a massa do Sol) e a gigante azul descoberta agora (com 300 vezes a massa do Sol).

Se essa fosse a nossa estrela, a gente não existiria, pois a radiação produzida por ela é tão forte que exterminaria qualquer princípio de vida no planeta. Mas já imaginou se o nosso sol fosse azul em vez de amarelo? Toda nossa percepção de cores seria completamente diferente!

Ah… a descoberta foi feita pela equipe do astrofísico Paul Crowther, da Universidade de Sheffield, usando o Very Large Telescope (VLT) do ESO, no Chile, e dados de arquivo da Nasa. A imagem acima mostra um zoom da Nebulosa da Tarântula, dentro da qual está encubado o aglomerado de estrelas R136. A superstar do grupo, R136a1 é, obviamente, o ponto mais brilhante na foto. Aliás, ela é quase 10 milhões de vezes mais luminosa do que o Sol. Imagine só!

Abraços a todos

.

ILUSTRAÇÃO: ESO/M. Kornmesser

ILUSTRAÇÃO: ESO/M. Kornmesser