SÃO PAULO SUBMERSA: UMA VISÃO DO FUTURO?

SÃO PAULO SUBMERSA: UMA VISÃO DO FUTURO?

Herton Escobar

08 Dezembro 2009 | 12h17


FOTO: JB Neto/AE

Se alguém precisava de uma demonstração para entender qual pode ser o impacto das mudanças climáticas sobre São Paulo, basta olhar pela janela ou ligar a televisão para ver o caos em que a cidade se transformou hoje por causa da chuva.

Não há como dizer que essa chuva específica foi “causada” diretamente pelo aquecimento global. Mas ela é um exemplo perfeito daquilo que os modelos climáticos prevêem que é possível acontecer nos próximos anos e décadas, com o aumento da temperatura da atmosfera (associado ao desmatamento da Amazônia, que também influencia a quantidade e a frequência de chuvas que chegam até o Sudeste do interior do continente).

As previsões são de que a cidade de São Paulo vai ficar mais quente. Mas não é só isso. Não é algo que vai ser solucionado simplesmente com ar-condicionado, cerveja gelada e protetor solar. As previsões são também de que as chuvas vão ficar mais intensas e mais concentradas. Ou seja: no fim do mês ou no fim do ano, a quantidade de água que caiu do céu pode até ser a mesma de antes, só que em vez de chover pouco a pouco em 30 dias, chove tudo em 3.

Aí o rios transbordam, os morros desmoronam e assim por diante …. Como se pode perceber, não precisa chegar ao grau de calamidade dos filmes de Hollywood, com ondas gigantes engolindo Nova York e coisas desse tipo. Basta uma chuvinha mais concentrada do que o normal na cabeceira do Tietê e a cidade já afunda no caos, com rios de esgoto transbordando por todos os lados, pessoas morrendo soterradas, milhões de reais em mercadorias perdidas, tempo de trabalho perdido, etc.

Agora imagine isso acontecendo todo mês ou algo assim! Claro que São Paulo sempre teve chuvas fortes e enchentes. E continuará a ter com ou sem aquecimento global. Isso porque escolhemos construir nossa maior metrópole brasileira sobre uma área de mata atlântica, onde antes havia uma floresta úmida tropical – que precisava de muita chuva para sobreviver (veja meu post do dia 3, abaixo).

O aquecimento global só vai piorar uma situação que já não era boa para a vida na cidade. E isso não é pouca coisa.