clima: quem paga a conta? – continuação

Herton Escobar

13 Agosto 2009 | 12h25

Que bom que meu primeiro post está gerando tantos comentários.

Estou num intervalo entre reuniões em Bonn e aproveitei para conversar com um diplomata da delegação brasileira sobre esse assunto das responsabilidades de cada país sobre o aquecimento global. Imaginem só a analogia que ele me fez: “Imagine que você chega num bar depois do expediente e senta numa mesa onde já tem um monte de gente sentada há muito tempo, bebendo e comendo….. etc” — exatamente a analogia que eu fiz no meu post anterior.

Só aviso isso aqui para não me acusarem de plágio depois! Eu já estava sentado na mesa quando ele chegou!

Ok, mas falando sério, a briga internacional é exatamente essa: Quem é que vai pagar a conta? Para calcular isso, é preciso saber quantos chopes cada pessoa bebeu (emissões de carbono) e quanto isso contribuiu para a bebedeira geral do grupo como um todo (contribuição das emissões para o aquecimento da temperatura global).

Como já disse, é mais do justo que quem bebeu mais pague mais. Só tem um probleminha, que precisa ser levado em conta: o bar está pegando fogo, as saídas estão ficando bloqueadas, e se não resolvermos rapidinho como essa conta vai ser paga, de um jeito ou de outro, vamos todos virar picanha queimada no final.