EM CIÊNCIA NÃO SE ACREDITA, SE CONCORDA (OU NÃO)

Herton Escobar

07 Dezembro 2010 | 12h32

Meu último post sobre imagens de células cerebrais gerou uma série de comentários sobre criacionismo e evolução (apesar de o texto não fazer absolutamente nenhuma referência a esse assunto). Normalmente evito entrar nesse tema porque sei que a discussão nunca chega a lugar nenhum. Crença é crença, e não há evidência científica que vá mudar isso.

Mas vou arriscar alguns comentários mais audaciosos desta vez …

Para muitos, a complexidade do organismos humano, da natureza e do Universo de uma forma geral é “prova” de que fomos criados por Deus, pois só uma inteligência superior seria capaz de criar algo tão complexo e tão fantástico.

Eu vejo de outra forma. Para mim, a complexidade da vida é evidência (não “prova”) de um processo evolutivo natural, não planejado, e não de uma Criação espontânea, planejada. Afinal, por que Deus se daria ao trabalho de criar algo tão extraordinariamente complexo, se ele teria o poder de chegar ao mesmo resultado por caminhos e mecanismos muito mais simples? Para quê tantas moléculas, tantas substâncias, tantas interações, tantas relações, “engrenagens” e processos? Quanto mais complexa a máquina, mas chances de ela dar problema, não é? Quanto mais simples uma estrutura, mas segura ela é. Se um relojoeiro pudesse fazer um relógio com um única engrenagem, ele certamente o faria.

A complexidade de uma célula é algo simplesmente extraordinário.  De um organismo inteiro, com trilhões de células funcionando em equipe, então, nem se fala … Dizer que toda essa complexidade evoluiu naturalmente pelas leis da física e da química que regem a interação de átomos e moléculas parece, realmente, extraordinário e improvável demais para ser verdade.

Improvável, porém, não é sinônimo de impossível. De fato, não há nenhuma lei da física, da química ou da biologia que impeça isso de acontecer. A evolução por seleção natural não é uma crença nem um chute nem uma alucinação … é uma teoria científica, embasada em séculos de observações e experimentos criteriosos. Não em um livro. A evolução não é algo no que se acredita, é algo com o que se concorda (ou não), baseado em fatos e evidências.

O problema é que entender a evolução exige muito estudo, muita leitura. É algo extremamente complexo, que não pode ser explicado em poucas palavras ou reduzido a chavões …

Também não entendo como a versão de que o Universo foi criado por Deus em 7 dias é mais plausível do que a versão de que o Universo começou numa grande explosão (o chamado “Big-Bang”) e que a vida evoluiu naturalmente na Terra ao longo de milhões e milhões de anos. Os criacionistas sempre perguntam: Se o Universo começou no Big-Bang, o que havia antes? De onde vieram os átomos? Pois eu pergunto: Se Deus criou o Universo, quem criou Deus? O que existia antes dele?

Que fique bem claro: Não estou negando a existência de Deus nem criticando ou debochando da crença de ninguém. Apenas fazendo uma reflexão sobre os comentários que foram feitos no blog.

Abraços a todos.