FESTA DE GALÁXIAS

FESTA DE GALÁXIAS

Herton Escobar

10 Janeiro 2012 | 16h57

Duas imagens quentinhas do Universo, recém-saídas do forno gélido do espaço-tempo:

1) Nesta imagem, feita pelo telescópio espacial Hubble, da NASA, astrônomos descobriram um aglomerado de cinco galáxias localizadas a aproximadamente 13,1 bilhões de anos-luz da Terra. Segundo a NASA, é o aglomerado de galáxias mais distante já observado.

13 bilhões de anos-luz é uma distância incompreensível … Significa que essas galáxias foram formadas nos primórdios do Universo, “apenas” 600 milhões de anos após o Big-Bang (que ocorreu 13,7 bilhões de anos atrás). A foto não parece muito impressionante à primeira vista, até que você para para pensar sobre o que está olhando: cada ponto luminoso nesta foto é uma galáxia inteira, com bilhões de estrelas (e provavelmente bilhões de planetas) dentro dela. Imagine só! (As que fazem parte do “aglomerado” estão marcadas com círculos … mas infelizmente o release da NASA não explica porque elas aparecem tão distantes umas das outras na imagem …).

Mais informações neste link: Hubble Pinpoints Farthest Protocluster of Galaxies Ever Seen

2) Essa aqui também é de um aglomerado de galáxias, batizado de “El Gordo”. Segundo a equipe que fez a descoberta (utilizando o Very Large Telescope do ESO, no Chile, juntamente com o telescópio espacial de raios X Chandra, da NASA, e o Atacama Cosmology Telescope), é o “maior aglomerado já observado no Universo longínquo”, localizado a 7 bilhões de anos-luz da Terra.

“Este aglomerado tem mais massa, é mais quente e emite mais raios-X do que qualquer outro aglomerado encontrado a esta distância ou a distâncias ainda maiores,” disse Felipe Menanteau da Universidade Rutgers, que liderou este estudo, segundo o press release divulgado pelo ESO. “Dedicámos muito do nosso tempo de observação ao El Gordo e estou contente por termos conseguido descobrir este espantoso aglomerado em colisão.”

Mais informações neste link: El Gordo – Um aglomerado de galáxias “gordo” e distante

Ambas as descobertas foram divulgadas no encontro da Sociedade Astronômica Americana, que está em curso em Austin, no Texas (EUA).