GALINHA DOIS-EM-UM

GALINHA DOIS-EM-UM

Herton Escobar

12 Março 2010 | 19h11

galinha-doublesex

FOTO: The Roslin Institute at the University of Edinburgh

Um prêmio para quem conseguir adivinhar o que está acontecendo na foto acima….

Reparem na diferença dos reflexos de cada lado da galinha. Ou será um galo? … Hum … na verdade, são as duas coisas num bicho só. Um animal metade galinha, metade galo. Imagine só!

Não se trata de nenhum “freak show”. Esse é um bicho de verdade, chamado ginandromorfo — raro, mas que ocorre naturalmente. A metade de penas brancas é macho e a metade de penas escuras é fêmea. (diferente de um hermafrodita, que possui genitálias de ambos os sexos… nesse caso, é meio a meio mesmo!)


Os ginandromorfos não são novidade para os cientistas. Mas só agora eles descobriram como esses bichos são “produzidos”. Os resultados da pesquisa foram publicados ontem na revista Nature.

Nos mamíferos (incluindo nós, seres humanos) o sexo é determinado geneticamente pelos cromossomos (machos são XY e fêmeas são XX) e fenotipicamente, pela ação dos hormônios sexuais (como testosterona e progesterona, estrogênio, etc) que são produzidos pelas gônadas nos estágios iniciais do desenvolvimento embrionário. Se o embrião for XY, as células primordiais dos testículos produzirão hormônios masculinos, que induzirão todas as outras células do embrião a se comportar como células masculinas. Se for XX, as células primordiais dos ovários produzirão hormônios femininos, e o embrião dará origem a uma mulher.

Uma coisa muito curiosa: há um gene chamado Sry no cromossomo Y que é crucial para o desenvolvimento do homem. Se você inserir esse gene nas gônadas de um embrião XX, ele se desenvolverá como um macho, apesar de todas as suas células terem cromossomos femininos. Imagine só!

Em resumo: O que faz você ser homem ou mulher, geneticamente, são os cromossomos. Mas o que faz você parecer homem ou mulher “por fora”, fenotipicamente, são os hormônios.

Mas e as tais galinhas/galos ginandromorfos?

FOTO: The Roslin Institute at the University of Edinburgh

FOTO: The Roslin Institute -- A metade branca é macho, a metade escura é fêmea.

Bem, as aves são diferenciadas por combinações de cromossomos ZZ (machos) e ZW (fêmeas). Um sistema equivalente ao dos mamíferos, então imaginava-se que ele funcionaria mais ou menos da mesma forma na diferenciação sexual dos embriões. Mas não! O estudo dos ginandromorfos mostrou que as células da metade macho são quase todas ZZ e as da metade fêmea, quase todas ZW. Isso significa que o sexo das aves (ou pelo menos das galinhas) é determinado diretamente pela composição cromossômica das células de cada tecido do organismo, e não só pelas células dos órgãos reprodutores (gônadas).

Qual a importância prática de saber isso? Bem…. de imediato, nenhuma. Mas a ciência é construída pelo acúmulo de conhecimento. Se você leu até aqui, então o estudo já valeu a pena.

Abraços a todos.