GALINHOSSAURUS REX – AGORA EM CORES

GALINHOSSAURUS REX – AGORA EM CORES

Herton Escobar

05 Fevereiro 2010 | 22h32


ILUSTRAÇÃO: Michael Digiorgio

Para aqueles que ainda duvidam da relação evolutiva entre dinossauros e aves (e que me acusaram de louco nos últimos posts que fiz sobre o assunto), a revistas Nature e Science publicaram nas últimas duas semanas dois estudos super interessantes sobre dinossauros penados.

Ambos revelam, de maneira pioneira, indícios de como era a coloração das penas desses bichos. Os trabalhos são baseados no estudo de melanossomos fossilizados. Os melanossomos são as organelas celulares que dão pigmentação à pele (ou às penas) de muitos animais, e sua estrutura varia de acordo com o tipo de pigmento que carregam. Os cientistas então usaram microscopia eletrônica de altíssima resolução para enxergar essas organelas nas penas fossilizadas e tirar pistas sobre qual era a cor delas.

O resultado são essas ilustrações que vocês vêem acima e abaixo deste post. E notem, por favor, como elas têm cara de ave …. O de penas pretas, da Science, parece até mais pássaro do que réptil. (Claro que as ilustrações são concepções artísticas, que obedecem a uma metodologia científica, mas inevitavelmente carregam uma dose de criatividade do ilustrador. Ainda assim, porém, são uma evidência clara do elo entre dinossauros e aves.)

Por coincidência, esses dias eu vi na televisão um episódio antigo do Friends em que a Rachel, para irritar o Ross, dizia a frase: “Jurassic Park, it could happen!” O Ross, que é paleontólogo, fica doido pois, na concepção dele, “Jurassic Park could never happen”.

Alguns anos atrás eu concordaria com o Ross. Hoje, não tenho tanta certeza.

Se alguém me dissesse um ano atrás que seria possível enxergar melanossomos fossilizados, eu também diria “impossível”. Mas não é. Em Jurassic Park, pelo que eu me lembro da última Sessão da Tarde, os cientistas tiram DNA do sangue de uma mosca fossilizada em resina que havia se alimentado do sangue de um dinossauro. Aí clonam esse DNA de dinossauro, colocam isso em algum tipo de embrião, produzem alguns ovos e voilá!!! nascem uns dinossauros… (tinha um sapo no meio do processo também, eu acho, não me lembro bem — mas tenho certeza de que algum de vocês lembrará)

Enfim, realmente parece impossível. E talvez seja mesmo. Hoje! Mas amanhã… quem sabe! Ontem mesmo eu escrevi um post sobre como cientistas tiraram genes de um mosquito e colocaram numa mosca. Também já temos gente sequenciando DNA extraído de ossos de Neandertal, transformando células da pele em neurônios, produzindo plantas transgênicas, clonando ovelhas, cachorros e coisas desse tipo que pareciam impossíveis antes de serem feitas….

Quem me garante que um dia também não poderemos clonar um dinossauro? Imagine só!

Abraços a todos


ILUSTRAÇÃO: © Jim Robins