ILHAS DE AQUECIMENTO

ILHAS DE AQUECIMENTO

Herton Escobar

04 Novembro 2009 | 13h53


FOTO: SERGIO NEVES/AGÊNCIA ESTADO

Imagine só: Entre 70% e 80% das emissões globais de gases do efeito estufa vêm de áreas urbanas. Ou seja, das cidades, como resultado da queima de combustíveis fósseis na indústria e no setor de transportes, principalmente. Entretanto, os governos municipais não têm tipicamente uma participação muito forte no processo de combate às mudanças climáticas. Deveriam!

Vejam, por exemplo, o caso da Região Metropolitana de São Paulo: nela vivem 22 milhões de pessoas, mais ou menos. Isso é mais do que quatro vezes a população da Dinamarca, país onde acontecerá a tão aguardada conferência sobre mudanças climáticas da ONU no mês que vem (a COP 15).

Quem me disse isso foi o prefeito de Copenhague, Klaus Bondam, que está em Barcelona participando da última reunião preparatória antes da conferência. Talvez os prefeitos da Região Metropolitana de São Paulo deveriam estar aqui também!


Quem sabe no mês que vem, em Copenhague….. Segundo Bondam, haverá um cúpula simultânea lá com os prefeitos das 40 maiores cidades do mundo (incluindo São Paulo) para discutir como elas podem contribuir para o combate ao aquecimento global (e também se preparar para as consequências dele, levando-se em conta que o problema não será resolvido tão cedo).

“Cada um de nós é bom em alguma coisa. Será uma importante oportunidade para trocarmos ideias”, disse ele. Copenhague tem 0,5 milhão de habitantes e metade deles usam bicicletas como o principal meio de transporte, “incluindo o prefeito”. “As cidades pequenas podem ser um laboratório de soluções para as cidades grandes”, disse Bondam.

Estudos sobre o impacto das mudanças climáticas no ambiente urbano ainda são escassos no Brasil. Mas aqueles que já foram feitos não são muito animadores. A previsão dos cientistas é que todos os problemas ambientais que já comprometem a qualidade de vida nas cidades serão exacerbados. Ilhas de calor, inversões térmicas, concentração de poluentes, enchentes, estiagens, tempestades, desmoronamentos …. só coisa boa.