LUA DOURADA

LUA DOURADA

Herton Escobar

08 Junho 2010 | 15h52

FOTO: G.Gillet/ESO

FOTO: G.Gillet/ESO

Essa é só para admirar: uma vista do pôr da Lua nos Andes Chilenos, afundando por trás do Very Large Telescope (VLT), um conjunto europeu de quatro telescópios de 8 metros de diâmetro cada um. O tom amarelado é um reflexo da luz do Sol, que começava a despontar no lado oposto do horizonte naquele momento.

Não se trata de uma montagem. A Lua parece gigantesca na imagem porque está muito próxima da linha do horizonte e o contraste com objetos mais próximos no solo (neste caso, o VLT) faz ela parecer “aumentada”. Além disso, a foto foi feita com uma lente de 500 mm, o que cria uma “ilusão” de que todos os objetos na imagem estão a uma mesma distância do observador. Quando, na verdade, ela está a 384 mil km da Terra. Imagine só!

E, aproveitando o gancho, aqui vai um fato curioso sobre o Lua (sobre o qual eu já escrevi uma vez neste blog, nos tempos em que ele ainda era uma coluna, mas já faz uns 2 anos, então vamos lá de novo):

Você sabia que nós enxergamos sempre o mesmo lado da Lua, apesar de ela estar girando como o Terra? Em outras palavras: a Lua está girando, mas nós só vemos uma metade dela. O outro lado está sempre virado “para trás”, e o único jeito de enxergá-lo é pegando carona numa nave espacial.

Isso acontece porque a velocidade de rotação da Lua em torno de seu próprio eixo e a velocidade com que ela gira em torno da Terra são iguais. Então, mesmo girando, a metade que fica de frente para nós é sempre a mesma. Imagine só!

abraços a todos