O SENHOR DOS ANÉIS E SEUS PASTORES

O SENHOR DOS ANÉIS E SEUS PASTORES

Herton Escobar

18 Março 2010 | 20h30

saturno3bright

FOTOS: Nasa/JPL/Ciclops

FOTO: Nasa/JPL/Ciclops

FOTO: Nasa/JPL/Ciclops

Um dos objetos mais incríveis do sistema solar, sem dúvida, é o planeta Saturno, com seus impressionantes anéis.


As fotos acima foram divulgadas hoje pela Nasa, associadas a um estudo publicado na revista Science, que apresenta os resultados mais recentes da missão Cassini — um satélite de pesquisa que orbita o planetão desde 2004. Sensacionais!

O mais impressionante sobre o anéis é como eles parecem ser uma peça sólida e lisa, como a superfície de um disco de vinil (ou LP, para aqueles que, como eu, são “velhos” o suficiente para saber o que é uma vitrola). A impressão é que seria possível deslizar sobre eles, como num ringue de patinação — o que tem um certo fundo de verdade, pois os anéis são, de fato, feitos de fragmentos de gelo e rocha. Milhões e milhões e milhões de fragmentos …. que variam do tamanho de um grão de areia até pedregulhos do tamanho de um carro ou uma casa.

Mas então, como é que podem ficar assim, alinhados de forma tão perfeita e elegante? Como é que esses fragmentos não saem voando por aí, a torto e a direito, nem são “sugados” pela gravidade do planeta?? A física explica….

Ou melhor, o professor Enos Picazzio, do Instituto de Astronomia da USP, explica, depois que fiz essa pergunta a ele por email:

“Os anéis de Saturno são compostos de material rochoso e gelo. Os tamanhos são variados, de grãos a rochas. Sempre se desconfiou que deveria existir um mecanismo de reabastecimento de matéria para manter os anéis. Entre os anéis há satélites, talvez resquícios de colisão. Alguns deles são chamados “pastores”. É o caso dos satélites Prometeu e Pandora e o anel F. O satélite externo empurra a poeira para dentro e o satélite interno, para fora. Com isto, a anel se mantém. O anel E, composto por grãos de gelo, é mantido pelo satélite Encelado, que ejeta água por gêiseres localizados nos polo sul. A sonda Cassini fez um voo rasante pelos jatos e detectou inclusive matéria orgânica. O material ejetado se parece muito com aquele ejetado pelos cometas. Por que esse satélite é tão diferente dos demais? Ainda não se sabe. Como os anéis estão dentro de uma região de forte efeito de maré, aquém do limite de Roche, essa matéria não se aglomera para formar um corpo maciço. Até o momento não se sabe exatamente o que formou esse complexo de anéis. Neste endereço há algums informações adicionais:

Documento

Achei essa coisa dos “pastores” muito interessante. Rochas maiores que mantêm as rochas menores agregadas e se movendo na direção certa, como um rebanho espacial. Imagine só!

Notem como, nas fotos acima, os anéis projetam uma linha de sombra na “superfície” do planeta que é iluminada pelo Sol. (Na primeira delas, a luz foi estourada para ampliar esse efeito…) E na sombra que o planeta projeta do outro lado sobre seus próprios anéis.

Digo “superfície” entre aspas porque há uma outra coisa fantástica sobre esse planeta. Assim como os anéis parecem sólidos à distância, mas na verdade são um agregado de fragmentos, a “superfície” de Saturno parece sólida à distância, mas na verdade é feita de gás. Você não poderia pisar nem pousar uma espaçonave sobre ela. É gás!!! A única parte sólida do planeta é o núcleo, que fica bem escondidinho lá no meio dessas nuvens todas. (O mesmo vale para os outros “gigantes gasosos”: Júpiter, Urano e Netuno — que, aliás, também possuem anéis, só que eles não são tão evidentes quanto os de Saturno. A “olho nu”, são praticamente imperceptíveis.)

E uma última curiosidade: Por ser feito de gás, a densidade de Saturno é tão baixa que se você pudesse colocá-lo dentro de uma banheira com água, ele boiaria. Imagine só!

Abraços a todos.