Peixe-leão é encontrado no Brasil

Peixe-leão é encontrado no Brasil

Herton Escobar

14 Maio 2014 | 21h09

Mergulhadores encontraram um peixe da espécie em Arraial do Cabo, no norte do Rio. Aparentemente, era um indivíduo isolado, mas fica o alerta. Peixe foi coletado e levado por pesquisadores para a UFF.

FOTO: Peixe-leão na Prainha de Arraial do Cabo. Crédito: ByFish Mergulho

Herton Escobar / O Estado de S. Paulo

Más notícias de Arraial do Cabo, no norte do Rio de Janeiro: Mergulhadores encontraram lá no sábado, dia 10, um peixe-leão entocado no meio de algumas rochas na Prainha, uma das praias centrais e mais visitadas da cidade. Para quem não sabe, o peixe-leão é uma espécie invasora do Indo-Pacífico que há 20 anos vem se alastrando como uma praga pelo Caribe, comendo tudo que vê pela frente e alterando drasticamente (para pior) todos os ecossistemas marinhos por onde passa. Uma vez que ele se instala num recife, é praticamente impossível erradicá-lo de lá. Ele toma conta do ecossistema e se torna quase que uma espécie única, comendo todas as outras que cabem em sua boca.

Nos últimos anos ele chegou às regiões mais ao sul do Caribe, e muitos temem que seja apenas uma questão de tempo até que ele invada o litoral brasileiro. Até agora, porém, não há relatos de avistamentos no Norte ou no Nordeste, o que sugere que o peixe encontrado em Arraial do Cabo seja um indivíduo isolado, provavelmente solto na praia por algum aquarista desavisado (ou irresponsável) que se feriu ou ficou sem espaço para ele em seu aquário. O peixe-leão tem espinhos de defesa com uma toxina que causa dor intensa quando eles são tocados.

O peixe, de aproximadamente 20 cm, foi capturado na terça-feira (dia 13), com autorização do ICMBio, e levado por biólogos para um laboratório da Universidade Federal Fluminense (UFF). Ele foi descoberto por um grupo de mergulhadores da empresa By Fish Mergulho, a cerca de 3,5 metros de profundidade, num ponto de mergulho afastado da orla da Prainha. O instrutor Silvio Couto, que identificou o bicho no sábado e voltou lá com os pesquisadores na terça para capturá-lo, disse que os mergulhadores (um grupo de 12) fizeram uma “varredura” no entorno da toca e não avistaram nenhum outro peixe-leão. “Se tivesse mais de um, acho que teríamos encontrado”, disse ele ao Estado. “Minha impressão é que se trata de um indivíduo isolado.”

Ainda que seja, o motivo para preocupação é grande. Uma das principais hipóteses para explicar o início da invasão é que os primeiros peixes-leões tenham sido liberados por aquaristas nas praias do sul da Flórida, na década de 1980, de onde a espécie se espalhou para o Caribe e para o restante da costa leste americana. Ou seja: num descuido desses, se um peixe-leão se encontra com outro em Arraial do Cabo e começa a procriar, a biodiversidade marinha do Brasil pode estar em sério risco. Pior do que ver o país ser invadido pelo norte seria abrir um novo foco da epidemia aqui no sul.

Para ver um vídeográfico que mostra a evolução da invasão no Caribe, clique aqui: http://migre.me/jbH3B

Para saber mais sobre o peixe-leão, leia também: De olho no peixe-leão, Peixe-Leão nos Recifes de Bonaire e Temporada de caça

Por fim, um estudo que analisa o risco de invasão do peixe-leão no Brasil: http://migre.me/jbH6Q

Abaixo, um vídeo postado de Arraial do Cabo, mostrando o peixe encontrado lá:

E dois feitos por mim, em Bonaire e nas Bahamas, quando estive lá pesquisando esse assunto para o jornal em 2011:


Gostou? Compartilhe! Siga o blog no Twitter: @hertonescobar; e Facebook: http://goo.gl/3wio5m