RELEASES ESPETACULARES

Herton Escobar

16 Julho 2012 | 14h26

Eu e meus colegas e minhas colegas vizinhas de mesa na redação temos uma espécie de ritual diário. Todo dia, quando chego e ligo o computador, encontro meu email abarrotado de press releases de todos os tipos. A maioria deles, inútil, e sem qualquer relação com os temas sobre os quais escrevo para o jornal (ciência e meio ambiente). Ainda assim, faço uma peneira … Alguns são hilários. Outros são absurdamente mal escritos. Outros são tão absurdos que preciso ler duas vezes para ter certeza de que não estou maluco. O ritual consiste em ler os “melhores” em voz alta, para todos começarem o dia com algumas risadas. São os  “releases espetaculares”!

Hoje chegou um que, talvez, seja um dos maiores campeões de todos os tempos em termos de linguagem apelativa … É um release de uma clínica de fertilidade, cujo nome, para evitar maiores complicações, vou omitir aqui. Mas leiam, e tirem suas próprias conclusões.  … Abraços a todos.

 

Você é tão fértil quanto aparenta ser?

 

A fertilidade é um problema relacionado à idade, não importa quão jovial é a aparência da mulher

 

Com o conceito de envelhecimento ativo bem propagado em nossa sociedade, é comum pensarmos que “os sessenta anos podem ser os novos quarenta”, e “os quarentões são agora os novos trintões”… Mas em termos biológicos, isto não é verdade, principalmente, se a mulher está tentando conceber.

Hoje, uma mulher bem sucedida, com quarenta anos, certamente investiu tempo e dinheiro em sua educação e em sua aparência, tentando parecer mais jovem. E em nossa sociedade associamos traços de juventude e beleza a “características de fertilidade”. Isso é um mito: a ligação entre atratividade e fertilidade.

Os avanços da indústria da beleza, da dermatologia e da cirurgia plástica, para não mencionar a devoção à yoga, ao pilates e aos exercícios físicos estão fazendo o possível para “diminuir um bom número de anos” nas mulheres. À primeira vista, elas estão admiravelmente mais jovens em relação à sua idade cronológica.

Mas os especialistas em reprodução humana temem que as mulheres estejam alimentando uma larga desconexão entre o que elas veem no espelho e o que está acontecendo com seus órgãos reprodutivos. É preciso saber que entre os 30 e os 40 anos, os órgãos internos “estão envelhecendo”, mesmo sem as mulheres sentirem isso, mesmo sem a percepção clara desta passagem do tempo.

Hoje, é comum ver mulheres que se surpreendem com o diagnóstico de infertilidade relacionado à idade. “Eu cuido da minha alimentação, tomo suplementos vitamínicos, não bebo, não fumo, venho de uma família fértil e grande… Como não consigo engravidar?”, elas questionam, sem levar em conta a própria idade.

“E esta irrealidade – esta diferença entre a idade e a aparência –  é reforçada por Hollywood, para o desespero crescente de muitos obstetras e ginecologistas. Agora, as estrelas e celebridades, nos seus 40 anos, não são apenas celebradas como símbolos sexuais, mas a julgar pela cobertura da mídia, elas parecem estar se reproduzindo sem dificuldade alguma. O que fica na cabeça das mulheres comuns é que as celebridades decidiram e conseguiram engravidar com mais de 40 anos”, afirma o ginecologista XXXX, diretor do XXXX.

São comuns publicações que estampam em suas capas manchetes como esta: “25 Estrelas que deram à luz depois dos 40” (US Magazine), transformando estas mulheres em ícones do glamour. Nesta lista estão Brooke Shields, Madonna, Jennifer Aniston todas com sorrisos radiantes e bebês no colo. A divulgação de informações que destacam a maternidade tardia também se estende pela Internet. O site Celebrity Baby Scoop parece fazer apologia ao tema.