AO VIVO… MAIS OU MENOS ALGUNS SEGUNDOS

AO VIVO… MAIS OU MENOS ALGUNS SEGUNDOS

Herton Escobar

04 Dezembro 2009 | 16h28


FOTO: Reuters

Estou olhando para três televisões nesse momento, na redação do jornal. Todas elas estão transmitindo o sorteio dos grupos da Copa do Mundo, e todas estampam na tela a frase AO VIVO. Só que nenhuma mostra exatamente a mesma imagem! Cada uma tem um delay de 2 ou 3 segundos em relação à outra.

O que me faz perguntar: O que diabos quer dizer AO VIVO? Parece que estou vendo passado, presente e futuro ao mesmo tempo! Mas qual é qual?

Em dia de jogo de futebol também sempre tem gente nos prédios vizinhos gritando GOL antes mesmo do jogador na minha tela (também AO VIVO) chutar a bola …

Me faz lembrar também daquelas imagens do universo. Quando olhamos para uma estrela, uma nebulosa ou uma galáxia que está a X anos-luz de distância da Terra, isso significa que a luz daquele objeto levou X anos para chegar até nós. Ou seja: estamos olhando para o passado! Estamos vendo aquele objeto como ele era X anos atrás, quando a luz foi emitida, e não como ele é hoje (AO VIVO). Para ver como ele é hoje, teremos que olhar para ele daqui X anos, quando a luz que ele está emitindo agora tenha tipo tempo de chegar até nós.

Assim como, quando um jogador marca um gol no estádio, você tem de esperar alguns segundos para que o sinal da televisão chegue até o seu aparelho. De certa forma, estamos sempre assistindo ao passado … só que AO VIVO.

Imagine só!

Atualizando esse post em 2010:

Não é um tanto curioso (eu quase quero dizer ridículo) que a gente comemore a chegada do ano novo 12 horas depois dos australianos, japoneses e Cia.? Quando nós estouramos nossas champagnes aqui, os caras lá já beberam, gritaram, pularam, fizeram tudo o que tinham direito, foram dormir e talvez até já acordaram. Afinal, meia-noite aqui é meio-dia lá. Enquanto a gente jantava em 2009 eles já estavam almoçando em 2010.

É mais uma prova de que o tempo, como nós o utilizamos no nosso dia a dia, por meio de relógios e calendários, é totalmente relativo. Os australianos não estão vivendo no futuro e a gente, no passado…. estamos todos vivendo o mesmo presente. A única diferença é que lá a Terra já completou uma volta em torno de si mesma e aqui não, tomando o meridiano de Greenwich como ponto de partida. Se o meridiano (que marca a hora Zero e a longitude Zero do planeta) tivesse sido traçado sobre a Austrália e não sobre a Inglaterra seria o oposto. O Oriente seria o Ocidente e nós é que chegaríamos no ano novo antes deles.

abraços e feliz 2010 a todos