UM GRÃO DE AREIA NO DESERTO

UM GRÃO DE AREIA NO DESERTO

Herton Escobar

18 Dezembro 2009 | 18h56

Correndo o risco de soar repetitivo, vou terminar a semana de trabalho com mais uma amostra de imagens magníficas do nosso universo … Algumas inéditas, divulgadas nas últimas semanas, outras clássicas, que fui buscar nos arquivos da Nasa e Cia.

A primeira é a menos bonita de todas mas, de longe, a mais impressionante. Cada ponto luminoso nessa imagem é uma galáxia inteira. Repito: não são estrelas, são GALÁXIAS! O que significa que dentro de cada um desses pontinhos luminosos há bilhões e bilhões de estrelas, ao redor das quais certamente orbitam bilhões e bilhões de planetas. A foto foi feita pelo nosso bom e velho guerreiro espacial, o telescópio Hubble. As galáxias mais “ao fundo” da imagem estão a mais de 13 bilhões de anos-luz de distância de nós. São os objetos mais distantes já fotografados.

A segunda imagem é da galáxia M74, que é parecida com a nossa própria galáxia, a Via Láctea. Cada pontinho luminoso na primeira foto, portanto, é algo parecido com isso.

Em seguida vem uma visão espetacular da nebulosa Doradus 30 e do agrupamento de estrelas R136, que ficam dentro da Grande Nuvem de Magalhães, uma galáxia vizinha da Via Láctea. Nebulosas são gigantescas nuvens de gás e poeira que servem como berçários de estrelas. Essas que aparecem superbrilhantes na imagem são gigantescas: muitas chegam a ter 100 vezes a massa do nosso Sol.

Mais abaixo, temos a ilustração de um exoplaneta parecido com a Terra, passando na frente de sua estrela, a “apenas” 40 anos-luz daqui (dentro da Via Láctea). O “planetinha” é rochoso e tem cerca de seis vezes a massa da Terra. Infelizmente ele está muito próximo de sua estrela, por isso a superfície é quente demais para sustentar vida (como a conhecemos). Mas é mais uma evidência de que planeta é o que não falta nesse universo …. A descoberta foi publicada quinta-feira na revista Nature.

A imagem seguinte, com a frase “Você Está Aqui”, é uma foto tirada pelo robô Spirit da superfície de Marte, em 2004. O pontinho quase invisível na ponta da seta é o planeta Terra (a bola azul e cheia de nuvens que aparece na foto final, tirada pelos astronautas da missão Apollo 17).

No fim das contas, nós seres humanos somos uma espécie entre milhões de espécies, que vivem em um planeta entre trilhões de planetas, que orbita uma estrela entre trilhões de estrelas, que faz parte de uma galáxia entre trilhões de galáxias que compõem o universo (o qual, há quem diga, pode ser também apenas um entre vários universos….. a conferir).

E a gente que se acha tão importante … Imagine só!