Piscina aquecida e sustentável

Estadão

17 Dezembro 2010 | 20h39

Por Gustavo Bonfiglioli – Especial para o Planeta

O Sesc Belenzinho, na zona Leste de São Paulo, é o primeiro do país a utilizar coletores solares para o aquecimento de piscinas. O sistema foi inaugurado no início de dezembro. São 1.515m² de paineis, capazes de gerar cerca de 551.600 kWh por ano, energia necessária para aquecer a água de duas piscinas, que possuem capacidade total de 1,3 milhões de litros.

SESC_Belezinho_1_int.jpg

“Acredito que seja um dos maiores sistemas de aquecimento solar para piscinas da América Latina”, afirma Rafael Littieri da Silva, diretor comercial da E2Solar, empresa que instalou os equipamentos. A escolha pela energia limpa pode fazer com que as piscinas evitem a emissão de 46,6 toneladas de CO2 em um ano, que seriam decorrentes da demanda por energia elétrica. As outras quatro piscinas do Sesc Belenzinho são aquecidas a gás.

SESC_Belezinho_3_int.jpg

Littieri explica que os paineis de aquecimento de piscinas são diferentes dos que são utilizados para chuveiros. “Os coletores para piscinas precisam manter uma temperatura de conforto entre 27 e 29ºC, bem menor do que a da água do banho, que chega a 40ºC. Eles também são mais eficientes na captação de radiação. Dessa forma, garante-se mais o aquecimento e não se faz necessário um backup”, explica, se referindo às situações em que se precisa utilizar a energia elétrica para garantir o aquecimento em dias nublados, sem incidência solar.

O custo é alto, mas, segundo Littieri, a economia de energia pode trazer retorno sobre o investimento em até quatro anos.