CUT e ruralistas fazem manifestação na entrada da Câmara

Estadão

24 Maio 2011 | 15h43

A chapelaria do Congresso, principal porta de entrada da Câmara e do Senado, está neste momento tomada por manifestantes da Central Única de Trabalhadores (CUT) e da Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA). Do lado da Câmara  estão cerca de 200 manifestantes da CUT, que protestam contra o projeto de Código Florestal, previsto para ser votado hoje. Do lado do Senado, um grupo de 50 pessoas com camisetas da CNA participam de um café bancado pela confederação.

Uniformizados com camisetas vermelhas da CUT, manifestantes gritam palavras de ordem contra o relator do projeto, Aldo Rebelo (PCdoB/SP), e contra a CNA. “Fora Aldo Rebelo.” “Fora CNA.” “Somos contra esse texto do relator”, afirmou o presidente do  Sindicato de Pinhalzinho, em Santa Catarina, Aerton Valmorbida. Segundo ele, a vinda dos manifestantes a Brasília foi bancada pela Federação dos Trabalhadores na Agricultura Familiar (Fenatraf) e pela Via Campesina.

A CNA é presidida pela senadora Kátia Abreu (PSD-TO). Favorável ao texto do relator Aldo Rebelo, a CNA levou manifestantes para o Congresso que se revezam diante de uma mesa cheia de pães, bolos e frutas. Seguranças da Câmara argumentam que a direção do Congresso não autorizou a colocação de uma mesa na chapelaria da Casa com os comes e bebes. Segundo eles, entre as pessoas convidadas pela CNA estariam seguranças da própria confederação.

A votação do código está prevista para hoje à tarde. Mas ainda não há consenso sobre o texto do projeto. Os manifestantes que lotam a chapelaria do Congresso não poderão assistir à votação. Apenas as pessoas credenciadas pelos partidos políticos é que  terão acesso às galerias do plenário da Câmara. (Eugênia Lopes)