Planeta na rádio Estadão/ESPN

Estadão

06 Maio 2011 | 15h01

No programa de rádio desta semana Planeta Estadão na rádio Estadão/ESPN (FM 92,9 e AM 700), as repórteres Afra Balazina e Andrea Vialli falaram sobre o impasse na votação do Código Florestal na Câmara dos Deputados. Para as jornalistas de O Estado de S.Paulo, o ponto mais polêmico em relação à votação é o desconhecimento, por parte do público e até dos deputados, do teor do texto que será votado.  

“Acho que a gente só vai ver esse texto na véspera”, diz Afra. “Aldo Rebello diz que está fazendo o ‘vestido de noiva’, que vai fazer o acordo tão sonhado por todos, mas ninguém conhece o texto ainda”, endossa Andrea.

As jornalistas lembraram que há pontos polêmicos pouco mencionados pela mídia no texto. Um deles seria a possibilidade de exploração de araucárias. Em seu site, a ex-ministra Marina Silva elencou esse e outros 15 itens considerados inadequados que constam no Código em vias de aprovação.

Outro assunto debatido pelas jornalistas, ao lado da apresentadora Paulina Chamorro, foi a logística reversa. O governo instalou cinco grupos de trabalho para estudar como o instrumento pode ser usado para resíduos como eletroeletrônicos, lâmpadas fluorescentes, entre outros. A ideia é que os produtores também tenham responsabilidade pelo destino final desses bens.

A jornalista Afra Balazina destacou, fora do País, um índice triste para o meio ambiente: na África do Sul, foram abatidos, desde o início do ano, 138 rinocerontes. Na Ásia, acredita-se que eles tenham propriedades afrodisíacas. No Nepal, por outro lado, censo recente mostrou que a população do animal aumentou.

Leia mais:

Base racha e Dilma deve ceder mais no Código Florestal

Governo instala grupos para definir logística reversa de cinco resíduos

Censo mostra aumento de rinocerontes no Nepal