REUTERS/Alexander Gerst/NASA
REUTERS/Alexander Gerst/NASA

Agência acredita que meteorito modificou campo magnético da Terra

Anomalia foi detectada, a partir de estudos com satélites, ao redor da cidade centro-africana de Bangui

O Estado de S.Paulo

23 Março 2017 | 16h46

A Agência Espacial Europeia (ESA) destacou nesta quinta-feira, 23, que a anomalia detectada no campo magnético da Terra ao redor da cidade centro-africana de Bangui pode ter sido causada pelo impacto de um meteorito há mais de 540 milhões de anos.

Nesta região, segundo o comunicado, o campo magnético é "significativamente mais agudo e mais forte" do que no resto do planeta. Esta diferença foi observada no novo mapa desse campo elaborado do espaço e com a mais alta resolução até então, que combinou as medições do satélite Swarm da ESA com dados históricos do satélite alemão CHAMP.

A agência espacial lembrou que o campo magnético é "como um enorme invólucro que nos protege da radiação cósmica e das partículas carregadas que bombardeiam nosso planeta com o vento solar", sem o qual "não existiria a vida tal como conhecemos".

A maior parte desse campo, segundo a ESA, se forma a mais de 3 mil quilômetros de profundidade, pelo movimento de ferro fundido do núcleo externo.

Os 6% restantes se devem às correntes elétricas existentes no espaço que rodeia a Terra e as rochas magnetizadas na litosfera superior, a porção rígida mais exterior do planeta, formada pela crosta e o manto superior.

Graças aos três satélites Swarm, o mapa recém apresentado mostra com a maior resolução disponível os sinais magnéticos desse campo "litosférico", que é muito frágil e difícil de detectar do espaço. /EFE

 

Mais conteúdo sobre:
Terra Bangui

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.