Agência reguladora analisará campanha contra Deus

Stephen Green, um militante cristão, pediu à agência que exija a retirada dessa publicidade

EFE,

09 Janeiro 2009 | 14h12

utoridade para Padrões Publicitários (Asa, em inglês), o organismo de autorregulação da publicidade no Reino Unido, terá que intervir em uma disputa sobre a existência ou inexistência de Deus, depois de ter recebido 48 queixas de pessoas sobre uma campanha de publicidade do ateísmo nos ônibus britânicos.   Veja também: Espanha também terá campanha ateísta Website laico árabe tem mais problemas que sites terroristas Campanha ateísta quer colocar pôsteres em ônibus de Londres   Oitocentos ônibus estão com a mensagem: "Provavelmente, Deus não existe. Portanto, pare de se preocupar e aproveite a vida".   Stephen Green, um militante cristão que liderou os protestos contra a transmissão pela BBC da ópera "Jerry Springer", considerada blasfema, pediu à agência que exija a retirada dessa publicidade, porque a afirmação feita nela não pode ser provada.   Os organizadores da campanha queriam um slogan mais contundente sobre a inexistência de Deus, mas, no fim, aceitaram diminuir o tom, inserindo o advérbio "provavelmente" para cumprir as regras da agência.

Mais conteúdo sobre:
ateísmo

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.