Alunos da rede pública terão bônus de até 15% na Fuvest

Mudanças no Inclusp foram aprovadas nesta quinta-feira; vestibular continua igual até futura reunião

Mariana Mandelli, O Estado de S. Paulo

31 Março 2011 | 17h28

SÃO PAULO - A Universidade de São Paulo (USP) aprovou na tarde desta quinta-feira, 31, mudanças em seu Programa de Inclusão Social (Inclusp). Agora, alunos que cursaram o ensino fundamental e médio na rede pública ganham até 15% de bônus na nota do vestibular. As outras alterações, às quais o Estado teve acesso, ainda não foram decididas e devem ser rediscutidas em outra reunião, ainda sem data marcada. As propostas foram elaboradas por um grupo de trabalho nomeado pela pró-reitoria de graduação com base em avaliações dos últimos vestibulares e sugestões dos departamentos.

 

O grau de dificuldade da Fuvest deve aumentar, porque a USP quer elevar a nota mínima na primeira fase de 22 para 27 pontos - ou 30% das 90 questões de múltipla escolha. Paralelamente, a universidade deseja alterar outro critério de convocação para a segunda fase, chamando entre dois e três alunos por vaga, de acordo com a média geral obtida pelos candidatos da carreira, variando entre 30 e 60 acertos em média.

 

Veja também:

link Professores torcem pelas mudanças na Fuvest

blog Defensores de cotas protestam contra mudanças

 

Inclusp. A principal mudança aprovada até o momento se refere ao Inclusp. O bônus para alunos da rede pública será obtido por meio do desempenho na primeira fase da Fuvest - até então, o bônus chegava a 12%, formado por 3% pelo fato de ser da rede pública, 6% por meio da nota na primeira fase e outros 3% pelo desempenho em prova aplicada aos alunos do 3.º ano da rede pública, chamada Programa de Avaliação Seriada da USP (Pasusp).

 

A avaliação é que esse modelo atual não foi bem-sucedido, pois não aumentou a presença dos estudantes da rede pública na USP. No ano passado, o número de oriundos da escola pública aprovados em primeira chamada caiu para o menor patamar desde 2007: 25,6% do total.

 

Com a mudança do Inclusp, não haverá mais bônus automático de 3%. Alunos que fizeram o fundamental e médio na rede pública poderão obter até 15% ao fazer a primeira fase no 2.º ano (bônus de 5%) e 3.º ano (10%), numa avaliação seriada - ou seja, o Pasusp seria estendido ao 2.º ano. Quem cursou o ensino médio na rede pública e o fundamental na particular poderia obter até 8% de bônus, mediante desempenho na nota da primeira fase. O mesmo vale para quem terminou o ensino médio e está no cursinho.

 

PRINCIPAIS PROPOSTAS

 

Vagas para a 2ª fase

A ideia é que sejam aprovados para a segunda etapa de dois a três candidatos por vaga, e não mais três para todas as carreiras, como é hoje.

 

Nota da 1ª fase

O desempenho na primeira etapa voltaria a contar na nota final, com o mesmo peso das provas da segunda.

 

Diminuição de questões

Uma das propostas pede a redução do número de questões da prova do segundo dia da segunda fase - de 20 para 16.

 

Alterações no Inclusp

A ideia é estender o Pasusp ao 2º ano do ensino médio e dar até 15% de bônus para quem cursou o fundamental e o médio na rede pública.

 

Mudança de carreira

Candidatos que não foram aprovados após a 3ª chamada de matrícula poderiam escolher outro curso.

 

Aumento da nota mínima

O mínimo de pontos necessários para chegar à segunda etapa passaria a ser 27, e não mais 22.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.