1. Usuário
Assine o Estadão
assine
  • Comentar
  • A+ A-
  • Imprimir
  • E-mail

Asteroide se aproxima da Terra - desta vez a distância ainda menor

- Atualizado: 19 Fevereiro 2016 | 07h 00

No dia 5 de março, rocha espacial pode ficar a 'apenas' 17 mil quilômetros do planeta; há risco remoto de colisão em 2017

Passagem de asteroide pode ser oportunidade para ampliar estudo sobre os corpos celestes. Na foto, o asteroide 2012 DA14 

Passagem de asteroide pode ser oportunidade para ampliar estudo sobre os corpos celestes. Na foto, o asteroide 2012 DA14 

Um pequeno asteroide, batizado "2013 TX68" e que já passou perto da Terra há dois anos, quando ficou a uma distância de 2 milhões de quilômetros do planeta, se aproxima de novo e, desta vez, a uma distância muito menor, informou a Agência Espacial dos Estados Unidos (Nasa).

No dia 5 de março, a rocha espacial poderá se aproximar a uma distância máxima de 14 milhões de quilômetros, mas pode ficar ainda mais próxima e se separar da Terra por "apenas" por 17 mil quilômetros, segundo estimativas dos astrônomos da Nasa.

Os investigadores determinaram que as diferenças entre as distâncias se devem à "ampla gama de possíveis trajetórias deste objeto", explicou a Nasa em um comunicado.

Os cientistas do laboratório JPL da Nasa em Pasadena, na Califórnia, comprovaram que não existe nenhuma possibilidade de que o objeto celeste represente algum perigo para a Terra ou possa se chocar contra a superfície terrestre enquanto viaja ao redor do globo no próximo mês.

Entretanto, os cientistas consideram que existe uma "possibilidade muito remota" de que este pequeno asteroide chegue a se chocar contra a Terra em 28 de setembro de 2017.

A probabilidade de colisão, contudo, é de uma entre 250 milhões e a possibilidade de que se produza um choque em 2046 e 2097 é ainda menor, segundo os cientistas.

"As possibilidades de colisão em qualquer das três datas futuras são demasiado pequenas para que isso possa se constituir uma preocupação real", concluiu Paul Chodas, diretor do Centro de Objetos Próximos da Terra, do laboratório JPL. /EFE

As próximas missões da Nasa
NASA/JPL
Missão Juno

O objetivo da Missão Juno é investigar pela primeira vez o que há sob as nuvens que recobrem Júpiter e revelar a origem e a evolução do planeta, a fim de aumentar a compreensão sobre os primórdios do Sistema Solar. Lançada em 2011, a missão chegará a Júpiter em julho 2016 e será encerrada em fevereiro de 2018.

Comentários

Aviso: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Estadão.
É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O Estadão poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os criterios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto.

Você pode digitar 600 caracteres.

Mais em CiênciaX