1. Usuário
Assine o Estadão
assine


Astrônomos descobrem planeta rochoso 17 vezes maior que a Terra

EFE

02 Junho 2014 | 19h 40

'Mega-Terra' dá voltas ao redor de estrela parecida com o sol em 45 dias; achado aumenta chances de vida fora do nosso planeta

Uma equipe de astrônomos coordenados pela Universidade de Genebra descobriu a existência de um novo tipo de planeta de composição rochosa com massa 17 vezes maior que a Terra, informou nesta segunda-feira, 2, a instituição de ensino. Por suas dimensões, especialistas consideraram o planeta uma "mega-Terra".

A característica rochosa deste planeta, batizado de Kepler-10c por causa do nome do satélite que o detectou pela primeira vez, implica na possibilidade de vida, de acordo com o cientista Stéphane Udry, coautor do estudo, citado no comunicado da universidade.

David Aguilar/Harvard-Smithsonian Center for Astrophysics
"Mega-Terra" dá voltas ao redor de estrela parecida com o sol em 45 dias; achado aumenta chances de vida fora do nosso planeta

O novo planeta se situa a 560 anos-luz da Terra, o que significa que está um pouco mais longe que o Kepler-186f, o primeiro planeta descoberto fora do sistema solar, há cerca de dois meses, com um tamanho comparável à Terra e onde se acredita que possa existir água em estado líquido.

Kepler-10c dá voltas ao redor de uma estrela similar ao sol em 45 dias e se encontra na direção da constelação Draco.

Calcula-se que tenha 11 bilhões de anos, ou seja, 3 bilhões de anos após o Big Bang, período em que eram escassos os elementos químicos necessários para a criação de grandes planetas rochosos, como o silício e o ferro.

Esse achado seria também uma prova de que há planetas do tipo terrestre que se formaram muito rápido na história do universo. Os astrônomos, portanto, podem ficar atentos, em seus estudos, para as estrelas mais antigas, na busca por planetas habitáveis.