Eliseo Fernandez/Reuters
Eliseo Fernandez/Reuters

Bispos católicos italianos doarão um milhão de euros ao Chile

Verba sairá de um fundo que arrecada 0,8% dos impostos pagos na Itália e os destina a entidades assistenciais

ANSA,

03 Março 2010 | 16h57

A Conferência Episcopal Italiana (CEI) anunciou que destinará um milhão de euros para fazer frente "às primeiras emergências e às necessidades essenciais das pessoas golpeadas pelo terremoto" no Chile.

 

Veja também:

linkPapa pede que organizações eclesiásticas ajudem o Chile 

linkVaticano lança selo para ajudar vítimas de terremoto no Haiti

 

"A Igreja italiana exprime a própria proximidade à população, vítima do violentíssimo sismo e da impressionante sequência de réplicas, que semearam mortes, sofrimento e destruição, deixando de joelhos o Chile, atingido por um devastador terremoto", afirma a entidade em nota.

 

A presidência da CEI também convida "as comunidades eclesiásticas a rezar por aqueles que foram golpeados pelo trágico evento e a apoiar as iniciativas de solidariedade promovidas pela Cáritas Italiana com o objetivo de aliviar o sofrimento daquela população".

 

O braço italiano da organização humanitária católica Cáritas anunciou nesta terça-feira que enviará 100 mil euros em contribuições ao Chile. Além disso, uma missão internacional da entidade já está no país sul-americano para recolher fundos e distribuir ajudas.

 

O milhão de euros que será doado pela CEI provirá de um fundo que contém dinheiro doado pela população italiana com o fim específico de assistência social. A contribuição ocorre através de uma lei, que destina 0,8% dos impostos pagos para entidades humanitárias à escolha do contribuinte.

 

"O apropriado Comitê para as intervenções de caridade a favor do Terceiro Mundo vai desembolsar o montante comprometido, acolhendo as solicitações que estão chegando ou chegarão, diretamente apoiando projetos de entidades eclesiásticas locais, que trabalham em parceria com as instituições de caridade da Conferência Episcopal ou das dioceses do lugar", explica o comunicado da CEI.

 

O abalo sísmico que atingiu o país sul-americano às 3h34 da madrugada deste sábado alcançou 8,8 graus na escala Richter e afetou dois milhões de pessoas. De acordo com os últimos números oficiais, o número de vítimas fatais é de 802.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.