Reuters
Reuters

Católicos britânicos recebem ossos de Santa Teresa de Lisieux

Nos últimos 15 anos, as relíquias já percorreram mais de 40 países, incluindo EUA, Brasil, Rússia e Iraque

Associated Press,

17 Setembro 2009 | 11h05

Milhares de britânicos rezaram e acenderam velas na chegada, ao país, dos ossos de uma freira do século 19 que se tornou santa da Igreja Católica.

 

Risco de gripe suína muda tradição da festa de San Gennaro

 

As relíquias de Santa Teresa de Lisieux, ou Teresinha do Menino Jesus, cruzaram o túnel por baixo do Canal da Mancha na quarta-feira, 16, e ficaram em exposição na Catedral de São João, em Portsmouth, no sul da Inglaterra, onde milhares de pessoas foram a missas especiais para a santa.

 

Nesta quinta-feira, as relíquias viajam para Plymouth, no sudeste. Elas percorrerão a Inglaterra e o País de Gales até 16 de outubro, com paradas em igrejas, catedrais e na prisão londrina de Wormwood Scrubs.

 

Ossos da coxa e o pé da santa aparecem atrás de uma janela de vidro em um esquife de madeira com enfeites dourados, e que pesa mais de1 30 quilos.

 

Teresa era uma carmelita francesa que morreu de tuberculose aos 24 anos, em 1897, após uma vida de devoção registrada numa autobiografia. Foi canonizada pelo papa Pio XI em 1925.

Ela é considerada pelos católicos como a padroeira de missionários, aviadores, floristas e pacientes de aids.

 

Nos últimos 15 anos, as relíquias já percorreram mais de 40 países, incluindo EUA, Brasil, Rússia e Iraque, para onde foram levadas em 2002 numa tentativa de impedir a eclosão da guerra.

Mais conteúdo sobre:
santa teresa vaticano catolicismo relíquia

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.