1. Usuário
Assine o Estadão
assine

Cientistas acham fóssil de ave que pode ter sido a maior que já existiu

EFE

07 Julho 2014 | 23h 03

Duas vezes maior que um albatroz real, espécie era tão grande que os investigadores tiveram que retirar os ossos com uma pá mecânica

Os cientistas identificaram os fósseis de uma ave que, com mais de 7 metros de ponta a ponta de suas asas, pode ter sido o maior pássaro que existiu na Terra. As informações foram divulgadas nesta segunda-feira, 7, pela revista científica Proceedings of the National Academy of Sciences.

Os restos foram encontrados em 1983 na Carolina do Sul, nos Estados Unidos, pelo voluntário James Malcom, do Museu de Charleston, durante as escavações dirigidas por Albert Sanders para um novo terminal de aeroporto.

A criatura, batizada pelos cientistas como Pelagornis sandersi, deve ter sido um planador extremamente eficiente com asas grandes e delgadas que a ajudavam a se manter no ar apesar de seu tamanho, segundo os investigadores.

Liz Bradford/Reuters
Imagem artística mostra como deve ter sido o Pelagornis sandersi, com 7 metros de ponta a ponta de suas asas

A espécie era tão grande - duas vezes maior que o albatroz real, a ave atual de maior tamanho - que os investigadores tiveram que retirar os restos com uma pá mecânica. 

"Só o osso superior da asa era maior que meu braço", comentou Dan Ksepka, do Centro Nacional de Síntese Evolucionária em Durham, Carolina do Norte. "O Pelagornis sandersi pode ter viajado distâncias enormes quando cruzava as águas oceânicas em busca de suas presas", completou.

Os cientistas calcularam que a ave viveu depois da extinção dos dinossauros e antes de que os primeiros seres humanos povoassem a região. Eles também tentaram determinar como poderia levantar voo e se manter no ar um animal cujas dimensões e pesos excediam os valores máximos considerados possíveis para as aves voadoras. 

Por meio de modelos de computador, os pesquisadores concluíram que o Pelagornis sandersi provavelmente saía do chão correndo morro abaixo em direção ao vento ou aproveitava as correntes de ar para levantar-se, como uma asa-delta.

Você já leu 5 textos neste mês

Continue Lendo

Cadastre-se agora ou faça seu login

É rápido e grátis

Faça o login se você já é cadastro ou assinante

Ou faça o login com o gmail

Login com Google

Sou assinante - Acesso

Para assinar, utilize o seu login e senha de assinante

Já sou cadastrado

Para acessar, utilize o seu login e senha

Utilize os mesmos login e senha já cadastrados anteriormente no Estadão

Quero criar meu login

Acesso fácil e rápido

Se você é assinante do Jornal impresso, preencha os dados abaixo e cadastre-se para criar seu login e senha

Esqueci minha senha

Acesso fácil e rápido

Quero me cadastrar

Acesso fácil e rápido

Cadastre-se já e tenha acesso total ao conteúdo do site do Estadão. Seus dados serão guardados com total segurança e sigilo

Cadastro realizado

Obrigado, você optou por aproveitar todo o nosso conteúdo

Em instantes, você receberá uma mensagem no e-mail. Clique no link fornecido e crie sua senha

Importante!

Caso você não receba o e-mail, verifique se o filtro anti-spam do seu e-mail esta ativado

Quero me cadastrar

Acesso fácil e rápido

Estamos atualizando nosso cadastro, por favor confirme os dados abaixo