Reuters
Reuters

Cientistas criam órgão elétrico artificial inspirado em enguias

Projeto desenvolvido no Adolphe Merkle Institute, da Universidade de Friburgo, é composto por milhares de eletrólitos

O Estado de S.Paulo

19 Dezembro 2017 | 16h19

FRIBURGO - Cientistas da Alemanha criaram o primeiro órgão elétrico artificial, inspirado em enguias elétricas. O projeto foi desenvolvido no Adolphe Merkle Institute (AMI), da Universidade de Friburgo, sob coordenação do pesquisador Michael Mayer.

+++ Caminhão com enguias sofre acidente e deixa pista e carros sujos 

Como descrito pela revista científica Nature, as enguias têm mecanismos de defesa capazes de gerar correntes elétricas de até 600 volts. Essa carga é gerada a partir de células eletrócitos. A variação da concentração dessas células gera um fluxo de íons, que carregam a corrente.

+++ Cientistas encontram enguia considerada 'fóssil vivo'

As enguias possuem milhares de eletrócitos acoplados em série, ou seja, todas as voltagens são aplicadas juntas.

+++ Biólogos marinhos encontram nova espécie em vala profunda do oceano

O funcionamento do órgão é similar. Ele é composto por milhares de eletrólitos, que se estendem em série pelo corpo do animal. Quando estimulados por sinais elétricos do sistema nervoso, os eletrólitos geram uma pequena tensão que acelera as partículas de sódio eletricamente carregadas (íons) por um lado da célula, e os íons de potássio por outro. Esse fluxo gera, por sua vez, uma corrente elétrica.

O órgão elétrico artificial é feito de gel, um material a base de água e pode ser obtido através de impressoras 3D. Como o sistema é biocompatível, poderá ser utilizado no futuro em cargas para marca-passo cardíaco e até mesmo como prótese de órgãos. /ANSA

 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.