NASA via AP
NASA via AP

Cientistas detectam água gelada em regiões escuras do planeta anão Ceres

Pesquisadores analisaram imagens de sonda que orbita o corpo celeste; vapor de água já havia sido encontrado em 2015

O Estado de S.Paulo

15 Dezembro 2016 | 17h36

Cientistas alemães e norte-americanos detectaram água congelada em regiões do planeta anão Ceres que permanecem na escuridão perpétua, segundo um estudo publicado nesta quinta-feira, 15, na edição digital da revista Nature Astronomy.

Ceres, o maior objeto do Cinturão de Asteroides do Sistema Solar, é o terceiro corpo planetário, após Mercúrio e a Lua, onde foi detectado gelo nas regiões polares.

A presença de vapor de água em Ceres foi detectada pela primeira vez da Terra em 2014 e confirmada em março de 2015 pela sonda Dawn, na órbita do planeta anão.

Desde então, os cientistas analisaram as regiões do planeta onde a luz solar nunca chega de forma direta, em busca de água em estado sólido.

Thomas Platz, do Instituto Max Planck, na Alemanha, é o responsável por uma nova análise das imagens capturada pela Dawn das crateras na região do polo norte de Ceres.

O grupo de pesquisadores identificou mais de 600 crateras nessas regiões de sombra perpétua, dez das quais mostram alguns brilhos.

O estudo espectroscópico destes flashes - que identifica o tipo de moléculas de um material a partir de seu espectro eletromagnético - confirmou que se trata de água gelada.

Os cientistas destacam que Ceres apresenta um número limitado de pontos brilhantes em sua região polar, comparado com Mercúrio, onde as áreas na sombra aparecem cobertas de flashes.

A confirmação da presença de gelo no planeta leva os pesquisadores a pensar que o processo pelo qual a água fica presa nas regiões de sombra dos corpos com atmosferas quase inexistentes é comum no Sistema Solar. /EFE

Mais conteúdo sobre:
Mercúrio Lua Terra Alemanha Sistema Solar

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.