Descoberta mais antiga criação de abelhas do mundo, com 3.000 anos

Cidade em Isarel tinha um complexo industrial de produção de mel, milênios atrás

estadao.com.br

08 Junho 2010 | 16h25

Larva de 3.000 anos, vista com microscópio eletrônico; a imagem tem cerca de 2 mm de largura. Reprodução/PNAS

 

Cientistas anunciam, na edição desta terça-feira, 8, da revista Proceedings of the National Academy of Sciences (PNAS), terem descoberto vestígios de abelhas operárias, zangões e larvas preservados em favos de mel no interior do que pode ser a mais antiga criação de abelhas do mundo.

 

Guy Bloch e colegas determinaram que fileiras de cilindros de barro encontrados em um pátio de Tel Rehov, em Israel, eram colmeias artificiais mantidas no interior da cidade, como parte de uma criação industrial. 

 

Análises de carbono 14 de cereais queimados encontrados nas proximidades indicam que a criação data de 3.000 anos atrás.

 

Textos e murais egípcios antigos já indicavam que abelhas eram domesticadas para a produção de mel e cera, mas nenhuma evidência concreta de apicultura na era antiga jamais havia sido encontrada no Oriente Médio antes da descoberta destas colmeias,afirmam os autores do trabalho.

 

Os pesquisadores examinaram as patas e asas das abelhas num microscópio eletrônico, descobrindo que essas abelhas produtoras de mel são de uma subespécie diferente da encontrada atualmente em Israel. Eles sugerem que os antigos moradores de Tel Rehov podem ter importado abelhas de uma área onde hoje fica a Turquia.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.