Diferença de idade com o marido reduz expectativa de vida da mulher

Análise de estatística de 2 milhões de casais mostra que mulheres sofrem prejuízo com diferença

estadao.com.br

12 Maio 2010 | 18h54

O casamento faz mais bem para os homens que para as mulheres, de acordo com estudo publicado na revista especializada Demography e realizado por Sven Drefahl, do Instituto Max Planck de Pesquisa Demográfica, na Alemanha. Pesquisas anteriores haviam demonstrado que homens casados com mulheres mais jovens vivem mais.

 

Cientistas supunham que o efeito também funcionasse para mulheres casadas com homens mais novos, mas Drefahl descobriu quer o oposto é verdade: quanto maior a diferença de idade entre mulher e marido - não importa se para mais ou menos - menor a expectativa de vida da esposa.

 

Se a preocupação do homem for viver muito, a escolha de mulher é fácil: quanto mais nova, melhor. A chance de morrer de um marido que é de sete a nove anos mais novo que a esposa é 11% menor na comparação com casais onde ambos têm a mesma idade. Já o homem mais novo que a mulher tende a morrer mais cedo.

 

Durante anos, cientistas acreditaram que a causa do fenômeno era um efeito de "seleção do mais saudável": uma pessoa capaz de atrair e manter um parceiro mais novo tenderia a ser mais saudável que a média, e  portanto viveria mais. Se real, essa "seleção do mais saudável" funcionaria para ambos os sexos. Também acreditava-se que a presença de um cônjuge mais jovem daria um impulso psicológico favorável ao parceiro mais velho.

 

Se verdadeiras, essas explicações deveriam funcionar indistintamente para ambos os sexos.

"Essas teorias agora precisam ser reconsideradas", disse Drefahl. "Parece que as razões para a diferença de mortalidade por causa da diferença de idades continuam sem explicação".

 

Usando dados de cerca de 2 milhões de casais dinamarqueses, Drefahl diz ter sido capaz de eliminar as limitações estatísticas de estudos anteriores, e demonstrar que o melhor para uma mulher é encontrar um marido exatamente da mesma idade. Um marido mais velho encurta sua vida e um mais jovem rouba-lhe mais anos ainda.

 

Segundo o levantamento, uma mulher que se case com um homem de sete a nove anos mais novo perde 20% de sua expectativa de vida.

 

Por isso, a "seleção do mais saudável" não pode funcionar para as mulheres. Aparentemente, mulheres excepcionalmente saudáveis não correm atrás de homens mais novos. "Não é que as mulheres não sejam capazes de atrair homens mais jovens. A maioria delas simplesmente não quer isso", disse o pesquisador.

 

Também não é certo que as mulheres tirem alguma vantagem psicológica do casamento com um homem mais novo. "Em média, homens têm contatos sociais em menor número e de pior qualidade que as mulheres", explica Drefahl. Assim, uma mulher mais velha não precisaria do marido jovem para cuidar dela - ela tem amigas e  amigos para isso. Já os homens mais velhos, não.

 

No entanto, em ambos os sexos, pessoas casadas vivem mais, em média, que as que ficam solteiras.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.