Encontrada tumba de antigo escriba dos faraós no Egito

É a tumba de Ken-Amun, encarregado de supervisionar os registros reais de 19ª Dinastia

Associated Press

14 Abril 2010 | 16h27

A elaborada tumba de um antigo escriba real foi desenterrada em uma descoberta que ajudará a iluminar a relação entre o Egito e seus vizinhos do Oriente, disse o chefe de antiguidades do país.

 

Arqueólogos encontram no Egito 14 tumbas do século III a.C.

 

A tumba decorada de Ken-Amun, encarregado de supervisionar os registros reais de 19ª Dinastia (1315-1201 a.C.) foi desenterrada na vila de Tell el-Maskhutam 120 km a leste do Cairo, disse Zahi Hawass, chefe do Conselho Supremo de Antiguidades.

 

Tell el-Maskhuta era um assentamento da região de Ismailia, e continha uma guarnição que equipava as tropas egípcias antes que elas partissem para campanhas a leste da fronteira.

 

Detalhe da parede interna da tumba de Ken-Amun. Conselho Supremo de Antiguidades/AP

A tumba de Ken-Amun é a primeira do Período Ramessida da história egípcia descoberta no Baixo Egito, e foi construída com tijolos de lama. Consiste de um aposento retangular com um teto de pedra.

 

Por dentro, as paredes estão decoradas com relevos de cenas fúnebres, incluindo o capítulo 12 do Livro dos Mortos e uma cena de mulheres de luto.

 

As inscrições informam que a mulher do escriba chamava-se Isis e trabalhava como música para o deus Atum. Um grande pilar de pedra do deus Set aparece diante do faraó da época, cujo nome não é mencionado.

 

O local continuou a ser usado como cemitério, e 35 túmulos do período romano também foram encontrados na escavação.

 

O Conselho Supremo de Antiguidades também informou que um dedo do pé roubado da múmia do pai de Tutancâmon foi devolvido. O dedo do rei Akenaton havia sido roubado em 1907 e foi devolvido por Frank Ruehli, um especialista em DNA.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.