1. Usuário
Assine o Estadão
assine

Especialistas italianos e brasileiros reconstroem rosto de Santo Antônio

EFE

11 Junho 2014 | 17h 11

Imagens mostram pessoa de aparência simpática, familiar e robusta

Santo Antônio, um dos mais venerados entre os católicos, já tem um rosto. Uma reconstrução feita por especialistas italianos e brasileiros com base em seu crânio mostra o santo de Pádua com cara redonda e bochechuda, olhos profundos e nariz achatado. A partir desta quinta-feira, 12, e até o dia 22 de junho, a reconstrução em três dimensões do rosto do santo poderá ser observada pelo público na Basílica de Santo Antônio, no norte da Itália,.

O resultado do projeto muda a imagem do popular santo nascido em Lisboa, representado por uma figura magra com o menino Jesus nos braços. Os cientistas chegaram à conclusão de que Santo Antônio era completamente diferente do imaginário tradicional que se tem dele. 

Para a reconstrução do rosto, trabalharam em conjunto cientistas italianos e brasileiros, entre eles o designer 3D Cícero Moraes, do Centro de Tecnologia da Informação 'Renato Archer', de Campinas, e pesquisadores do laboratório de Antropologia e Odontologia forense da Universidade de São Paulo. 

A imagem, considerada a mais próxima da realidade até agora, começou a tomar forma com o traçado do crânio do santo, realizado em 1981, depois que seus restos mortais foram localizados. 

A reconstrução mostra uma pessoa de rosto "simpático e familiar", dizem os especialistas. Santo Antônio tem o corte de cabelo em forma de coroa, dos antigos franciscanos, e compleição robusta, já que, como demonstraram alguns historiadores, sofria de hidropsia - acúmulo de líquido nos tecidos do corpo ou cavidades -, o que provocou sua morte aos 35 anos, em 13 de junho de 1231.

Método. O responsável pelo Museu de Antropologia de Pádua e idealizador do projeto, Nicola Carrara, explicou que para "não influenciar no resultado" entregaram o traçado do santo ao artista brasileiro sem dizer de quem se tratava e só ofereceram três dados: homem, 36 anos e caucasiano.

Moraes começou a trabalhar e os primeiros resultados do artista foram surpreendentes já que ele chegou à conclusão de que o rosto que estava reconstruindo era de um ibérico, provavelmente um português.

"A cada passo que dava, tinha mais curiosidade de saber quem era esse homem. Quando soube que era Santo Antônio fiquei sem palavras, maravilhado. Senti uma grande responsabilidade, pois milhões de pessoas veriam pela primeira vez o rosto de seu santo mais venerado", disse Moraes.

  • Tags:

Você já leu 5 textos neste mês

Continue Lendo

Cadastre-se agora ou faça seu login

É rápido e grátis

Faça o login se você já é cadastro ou assinante

Ou faça o login com o gmail

Login com Google

Sou assinante - Acesso

Para assinar, utilize o seu login e senha de assinante

Já sou cadastrado

Para acessar, utilize o seu login e senha

Utilize os mesmos login e senha já cadastrados anteriormente no Estadão

Quero criar meu login

Acesso fácil e rápido

Se você é assinante do Jornal impresso, preencha os dados abaixo e cadastre-se para criar seu login e senha

Esqueci minha senha

Acesso fácil e rápido

Quero me cadastrar

Acesso fácil e rápido

Cadastre-se já e tenha acesso total ao conteúdo do site do Estadão. Seus dados serão guardados com total segurança e sigilo

Cadastro realizado

Obrigado, você optou por aproveitar todo o nosso conteúdo

Em instantes, você receberá uma mensagem no e-mail. Clique no link fornecido e crie sua senha

Importante!

Caso você não receba o e-mail, verifique se o filtro anti-spam do seu e-mail esta ativado

Quero me cadastrar

Acesso fácil e rápido

Estamos atualizando nosso cadastro, por favor confirme os dados abaixo