Falha de foguete representa retrocesso para ambição espacial da Índia

País, que já enviou missão à Lua, busca entrar no mercado de lançamento de satélites

Reuters

15 Abril 2010 | 16h01

A falha de um foguete equipado com um motor criogênico doméstico pode representar um retrocesso nos planos da Índia de se tornar um dos líderes no mercado multibilionário global de lançamento de satélites, reconheceram nesta quinta-feira, 15, autoridades indianas.

O Veículo de Lançamento de Satélite Geoestacionário (GSLV, da sigla em inglês) foi lançado de uma base localizada no sudeste da Índia, mas oito minutos depois de deixar a terra o foguete apresentou uma falha que causou um incêndio, deixando um rastro de fumaça e decretando o fim da missão.

Segundo G. Radhakrishnan, chefe da Organização de Pesquisa Espacial da Índia (ISRO, da sigla em inglês), o foguete perdeu o controle após um de seus motores apresentar falha.

A Índia visa expandir sua atuação no negócio de lançamento de satélites em torno de US$ 120 milhões por ano, o que representa apenas um quarto do valor levantado pela China anualmente nesse mercado. Porém, o país ainda depende da compra de motores russos, o que representa um alto custo na operação e freia as ambições de crescimento no setor espacial.

Pressionada pelo governo, a ISRO ainda não obteve sucesso no desenvolvimento de motores criogênicos, atualmente construídos por um seleto grupo de países.

Em abril de 2008, a Índia lançou 10 satélites em órbita utilizando foguetes comuns. No mesmo ano, o país fez seu primeiro lançamento não-tripulado para a Lua. Essa missão acabou sendo abandonada dez meses depois, mas não antes de recolher dados que ajudaram a provar a existência de gelo no Lua.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.