Gays e transexuais não irão para o Céu, diz cardeal

Um cardeal católico disse na quarta-feira que gays e transexuais nunca irão para o Céu, no que foi repreendido pelo próprio Vaticano.

REUTERS

02 Dezembro 2009 | 18h32

"Transexuais e homossexuais não entrarão no Reino dos Céus, não sou eu quem diz, e sim são Paulo", disse o cardeal mexicano Javier Barragan, recém-aposentado de funções no Vaticano, referindo-se a uma das epístolas de são Paulo.

Em declarações publicadas no site www.pontifex.roma.it, ele afirmou: "Não se nasce homossexual, torna-se homossexual. Por várias razões, por educação, por não ter desenvolvido sua dignidade durante a adolescência... Talvez (os homossexuais) não sejam culpados, mas por irem contra a dignidade do corpo eles certamente não entrarão no Reino dos Céus".

"Tudo que vai contra a natureza e contra a dignidade do corpo ofende a Deus", acrescentou.

Aurelio Mancuso, presidente da principal organização de homossexuais da Itália, a Arcigay, disse que as declarações do cardeal se incluem nas "ridículas teorias (da Igreja) sobre a sexualidade e a dignidade das pessoas".

O Vaticano se distanciou das declarações numa nota de caráter excepcional, já que raramente a Santa Sé faz críticas, ainda que indiretas, a um prelado.

O porta-voz Federico Lombardi afirmou que o site não deve ser visto como uma autoridade no pensamento católico "a respeito de questões complexas como a homossexualidade".

Ele citou o catecismo oficial católico, segundo o qual os atos homossexuais são um "distúrbio", mas que admite que muitas pessoas têm "tendências homossexuais inatas" e devem ser tratadas com respeito e sem discriminação.

A Igreja Católica prega que os atos homossexuais são pecaminosos, mas não a homossexualidade em si.

Mais conteúdo sobre:
GAYS CARDEAL CEU*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.