Ibama autoriza abate de javalis e caturritas no RS

Os agricultores gaúchos estão autorizados a caçar javalis e caturritas a partir deste mês, até o final do ano. A portaria do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama) que autoriza o abate das duas espécies foi publicada no Diário Oficial da última quinta-feira. A gerente executiva do Ibama no Rio Grande do Sul, Cecília Hypolito, diz que as duas liberações são experimentais, mas adianta que a da ave, que vigora até 31 de agosto, não será renovada. A caturrita é nativa e se tornou uma praga porque, com o desmatamento, passou a se alimentar das lavouras e, ao mesmo tempo, não tem mais predadores naturais, como gaviões e corujas. O Ibama só autoriza o abate com arma de calibre 12, respeitado o Estatuto do Desarmamento, para consumo doméstico ou de animais em criadouros, e proíbe a venda das aves. A quantidade eliminada deve ser informada ao final da temporada. O javali é exótico e chegou aos campos do sul do Estado fugindo de fazendas no Uruguai. A norma do Ibama autoriza a formação de equipes de caça, desde que orientadas por guias especializados, e recomenda o uso de armas de fogo. Também limita a atividade à propriedade do agricultor e proíbe o transporte de animais vivos. O abate está autorizado até o final do ano.

Agencia Estado,

05 Abril 2004 | 11h55

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.