Alexandre Bonnefoy/AFP
Alexandre Bonnefoy/AFP

Macaco é flagrado tentando fazer sexo com veado no Japão; veja vídeo

Segundo estudo da revista 'Primates', comportamento é raro entre espécies diferentes e pode ser explicado pela falta de fêmeas

O Estado de S.Paulo

11 Janeiro 2017 | 11h03

YAKUSHIMA - Um jovem macaco foi filmado no Japão tentando manter relações sexuais com uma fêmea de veado, algo incomum entre duas espécies tão distantes, segundo um estudo publicado nesta terça-feira, 10, pela revista Primates.

Há poucos exemplos conhecidos no mundo de casos como este entre espécies selvagens. A situação é menos excepcional entre animais de estimação ou criados em cativeiro, de acordo com o artigo.

O macaco japonês da Ilha de Yakushima, no sul do país, foi filmado várias vezes montando em ao menos duas cervas Sika, muito maiores do que ele.

Sem chegar a penetrar, o jovem macaco realiza movimentos claramente sexuais, em geral tolerados pela parceira improvisada.

"Não há nenhuma ambiguidade possível. Trata-se de um comportamento de ordem sexual", disse à agência de notícias AFP a coautora do estudo, Marie Pele, pesquisadora da Universidade de Estrasburgo, na França.

O primata chega a repelir outros macacos que tentam se aproximar dos  veados, como se quisesse preservá-los só para si.

Segundo os cientistas, o comportamento pode ser explicado pela falta de parceiras em seu grupo.

"Esse jovem macaco não tinha acesso às fêmeas de seu grupo, monopolizadas pelos machos mais velhos", declarou Marie Pele. "Ele estava muito excitado e aproveitou a presença da cerva para fazer o que queria."

Os pesquisadores avaliam que sejam necessários novos estudos para compreender as causas do comportamento sexual entre espécies, incluindo a zoofilia (quando o homem se sente atraído pelos animais). 

Este é o segundo estudo científico sobre o assunto. O primeiro, publicado em 2014, concentrou-se nas focas que abusam dos pinguins na Antártida. /AFP

Mais conteúdo sobre:
Japão França Antártida

Encontrou algum erro? Entre em contato

0 Comentários

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.