Machos e fêmeas nascem com o mesmo senso de direção, mostra estudo

Trabalho publicado na 'Science' analisou a capacidade de orientação de ratos recém-nascidos

REUTERS

17 Junho 2010 | 18h42

Cientistas que estudam ratos descobriram que tanto machos quanto fêmeas  recém-nascidos têm um senso de direção inato que existe antes mesmo que comecem a se mover, e que isso provavelmente vale para todos os animais, incluindo seres humanos.

 

Os pesquisadores não encontraram nenhuma diferença no senso de direção entre machos e fêmeas, o que sugere que ambos os sexos nascem com as mesmas ferramentas para construir suas capacidades de navegação.

 

"Talvez a antiga questão de se machos ou fêmeas têm um melhor senso de direção possa ser um caso de como escolhemos desenhar nossos mapas, e não dos materiais iniciais", escrevem os cientistas no artigo sobre seus resultados, publicado na revista Science.

 

A equipe de pesquisadores, da Noruega e do Reino Unido, implantou sensores miniaturizados em filhotes de rato antes que seus olhos se abrissem e antes que começassem a andar. A técnica permitiu o registro da atividade do cérebro no momento em que os animais deixaram o ninho pela primeira vez, para começar a explorar o ambiente.

 

Eles descobriram que o sinal direcional, que permite ao animal saber para que lado está virado, já se encontra no mesmo nível que nos adultos a partir do momento em que passa a ser mensurável nos ratos recém-nascidos.

 

"Essas células praticamente parecem adultas desde o início", disse Rosamund Langston, da Universidade de Ciência e Tecnologia da Noruega.

 

O senso de lugar também está presente logo cedo, mas melhora com a idade, e o senso de distância desenvolve-se em poucos dias.

Mais conteúdo sobre:
science direção sexos macho fêmea ratos

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.