NASA
NASA

Maior lua de Júpiter tem oceano embaixo de crosta de gelo

Fato aumenta chances de que haja vida no local, afirma cientistas que operam Telescópio Espacial Hubble

Agências internacionais

12 Março 2015 | 23h34

A lua Ganímedes, que orbita Júpiter, tem um oceano embaixo de uma crosta superficial de gelo, fato que aumenta as chances de que haja vida. A informação foi divulgada nesta quinta-feira, 12, por cientistas que operam o Telescópio Espacial Hubble.

Como a Terra, Ganínmedes possui um núcleo de ferro fundido que desencadeia o aparecimento de um campo magnético, ligado ao de Júpiter. Por causa disso, formam-se duas faixas de auroras que brilham nos polos norte e sul da lua, a maior do sistema solar. 

Com a rotação, o campo magnético de Júpiter se altera, influenciando as auroras de Ganimedes.

 

Com base em modelos feitos por computadores, cientistas chegaram à conclusão de que um oceano salgado, capaz de conduzir eletricidade, se contrapunha à atração magnética de Júpiter.

Ganímedes é uma das cerca de 50 luas que circulam Júpiter. Com diâmetro de 5.260 quilômetros, é ligeiramente maior que o planeta Mercúrio.

Mais conteúdo sobre:
Júpiter Telescópio Espacial Hubble

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.