Milhares protestam na Espanha contra custo da visita do papa

Milhares de pessoas saíram às ruas de Madri nesta quarta-feira num protesto contra o custo da visita que o papa Bento 16 fará nesta semana à Espanha, num momento de crescente turbulência social e crise econômica no país.

SONYA DOWSETT E BRENTON CORDEIRO, REUTERS

17 Agosto 2011 | 19h27

Manifestantes de todas as idades participaram do protesto, sob o slogan "Dos meus impostos, zero para o papa." Bento 16 irá à capital espanhola no fim de semana para celebrar o Dia Mundial da Juventude (DMJ), com a participação prevista de centenas de milhares de pessoas.

"Isso está custando muito dinheiro para o Estado espanhol, que está passando por um período ruim", disse Rosa Vázquez, de 55 anos, que levava um cartaz com os dizeres: "A religião é o ópio do povo, não se drogue com os nossos impostos."

O papa chega a Madri na quinta-feira para uma programação que culmina no domingo com uma missa campal no aeroporto de Cuatro Vientos, nos arredores da capital, na qual são esperadas mais de 2 milhões de pessoas.

Críticos dizem que a visita custará cerca de 100 milhões de euros, mas o governo negou-se a citar cifras.

A passeata de quarta-feira -- reunindo também homossexuais, ateus e até alguns padres - transcorreu de forma pacífica. Perto da praça do Sol, a multidão encontrou um grupo de admiradores do pontífice, alguns deles agitando bandeiras do Vaticano.

"Não somos contra o povo celebrar a visita do papa, mas não concordamos em ter de pagar sem ninguém nos perguntar", disse Nora, de 20 anos, que participou da manifestação, na qual que um cartaz dizia: "O papa viaja, o papa paga."

PERDÃO AO ABORTO

Também nesta quarta-feira, o Vaticano autorizou padres a perdoarem o pecado o aborto quando ouvirem as confissões dos participantes do DMJ. A confissão coletiva ocorrerá no sábado, num parque de Madri, na presença do papa.

"Isso é para facilitar que os fiéis que participarem das celebrações do Dia Mundial da Juventude obtenham os frutos da divina graça", disse a arquidiocese de Madri em nota no seu site.

Duzentos confessionários móveis, brancos, foram montados no parque do Retiro. As confissões poderão ser feitas em várias línguas. O próprio papa estará em um dos confessionários, ouvindo três visitantes, antes de celebrar missa para até 6.000 seminaristas.

Em 11 de agosto, o Vaticano já havia anunciado uma indulgência plenária para todos os jovens que forem ao evento. Essa forma coletiva de indulgência -- uma remissão das penitências temporais por pecados cometidos -- é habitual nas celebrações do DMJ.

(Reportagem adicional de Judy MacInnes e Tom Heneghan)

Mais conteúdo sobre:
RELIGIAO PAPA ESPANHA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.