Missão de ônibus espacial vai estender vida da estação espacial

Equipe trabalhará para garantir funcionamento da estação em órbita após aposentadoria dos ônibus espaciais

Reuters,

16 Novembro 2009 | 17h42

 

 

CABO CANAVERAL, FLÓRIDA - O ônibus espacial Atlantis foi lançado nesta segunda-feira, 16, em uma das missões finais para equipar a Estação Espacial Internacional, de modo que a estação possa continuar em órbita muito tempo depois de os ônibus espaciais serem aposentados. A decolagem do Atlantis e de seus seis tripulantes na última missão do ano do ônibus espacial aconteceu às 17h28 (horário de Brasília) do Centro Espacial Kennedy, na Flórida.

A Nasa pretende encerrar no próximo ano o programa de ônibus espaciais, lançado há 30 anos, em função de preocupações de longa data com a segurança e os custos ligados à manutenção e os voos do Atlantis e dos outros dois ônibus espaciais, Discovery e Endeavour.

O programa de ônibus espaciais custa à Nasa cerca de US$ 5 bilhões por ano e já provocou a morte de 14 astronautas. A primeira tripulação de sete astronautas morreu em acidente ocorrido durante o lançamento de um ônibus em 1986, e a segunda morreu durante tentativa de aterrissagem em 2003, devido a uma falha no escudo anticalor do aparelho.

A agência espacial norte-americana vem trabalhando para substituir os ônibus espaciais por uma espaçonave capsular, parcialmente reutilizável, chamada Orion, para levar tripulantes para a Lua e outros destinos no sistema solar, além de para a estação espacial, que orbita a Terra a 360 quilômetros de altitude.

Projeto de US$ 100 bilhões que reúne 16 países e está em construção há mais de uma década, a estação está prevista para ficar pronta em 2010. Após a missão do Atlantis, faltarão outras cinco missões para concluir a construção e o equipamento da estação.

O Atlantis está carregado com cerca de 13.610 quilos de equipamentos. É um volume grande demais para ser transportado pelas naves de carga russas, europeias e japonesas que vão manter a estação abastecida de alimentos, combustível e outros suprimentos depois de os ônibus espaciais serem aposentados.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.