EFE/KHALED ELFIQI
EFE/KHALED ELFIQI

Museu expõe pela 1ª vez o papiro mais antigo do Egito

Documento data da era do faraó Keops, que governou o Egito antigo há mais de 4.500 anos

O Estado de S.Paulo

15 Julho 2016 | 18h16

O famoso museu do Cairo expõe, pela primeira vez, a partir desta quinta-feira, 14, o papiro mais antigo encontrado até agora, que data da era do faraó Keops, que governou o Egito antigo há mais de 4.500 anos.

Este manuscrito excepcional foi descoberto com outros papiros em 2013 por uma equipe de arqueólogos franceses e egípcios na região de Wadi Al Jarf, no sudeste do Cairo, às margens do Mar Vermelho.

O documento menciona a construção da grande pirâmide de Gizé, a oeste do Cairo.

"Trata-se do mais velho texto escrito" descoberto no Egito, indicou Sayed Mahfuz, um dos arqueólogos da equipe que fez a descoberta.

O papiro foi encontrado em pedaços. "Há mais de mil fragmentos", precisou.

Será exposto por duas semanas no Museu do Cairo, onde estão conservadas as mais belas peças do tesouro faraônico do Egito.

Este papiro "conta o cotidiano e o modo de vida dos trabalhadores do porto (de Wadi Al Jarf)", segundo um comunicado do ministério de Antiguidades./AFP

Mais conteúdo sobre:
Cairo Keops Egito Wadi Al Jarf Mar Vermelho

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.