Wikimedia Commons
Wikimedia Commons

Oxigênio produzido por musgos permitiu vida animal na Terra

Pesquisa feita a partir de simulações para recriar o passado mostra que primeiras plantas terrestres eram surpreendentemente produtivas

O Estado de S.Paulo

15 Agosto 2016 | 18h49

Tudo começou com o musgo, explica um estudo publicado nesta segunda-feira, 15, que sugere que esta planta é a causa da quantidade de oxigênio que permitiu aos animais e seres humanos prosperar na Terra.

Há cerca de 470 milhões de anos, o musgo começou a proliferar, proporcionando ao planeta sua primeira fonte de oxigênio estável e permitindo o desenvolvimento de formas de vida inteligente, segundo o estudo publicado nas Atas da Academia de Ciência dos Estados Unidos (PNAS).

"É emocionante pensar que sem a evolução do modesto musgo, nenhum de nós estaria aqui hoje", disse Tim Lenton, professor da Universidade de Exeter e coautor do trabalho.

"Nosso estudo sugere que as primeiras plantas terrestres foram surpreendentemente produtivas e geraram um aumento importante na quantidade de oxigênio na atmosfera", afirmou.

O oxigênio apareceu pela primeira vez na atmosfera da Terra há 2,4 bilhões de anos, durante o que se conhece como a Grande Oxidação, mas o oxigênio só alcançou seus níveis atuais há cerca de 400 milhões de anos.

Alguns científicos desenvolveram a teoria de que os bosques foram os responsáveis por incrementar os níveis de oxigênio, mas os autores do estudo discordam.

A partir de simulações por computador para recriar o passado, os pesquisadores calculam que os liquens e os musgos poderiam ter gerado cerca de 30% do oxigênio na Terra há cerca de 445 milhões de anos.

Este aumento nos níveis de oxigênio "permitiu que uma extensa, móvel e inteligente vida animal evoluísse, incluindo a humana", diz o estudo./AFP

Mais conteúdo sobre:
Terra

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.