Nave Progress se separa da ISS para funcionar como laboratório

Nave de carga russa vai estudar as características, tamanho e densidade do plasma que surge dos propulsores

Efe,

21 Setembro 2009 | 16h19

A nave de carga Progress M-67 se separou nesta segunda-feira, 21, da Estação Espacial Internacional (ISS, em inglês) para liberar resíduos da plataforma orbital e funcionar durante uma semana como laboratório autônomo, antes de afundar no Pacífico, informou o Centro de Controle de Voos Espaciais da Rússia (CCVE).

 

"A tripulação preparou a nave de carga para seu voo autônomo. Após a ordem de desacoplar, o cargueiro se desajustou com sucesso e se separou da estação a uma distância segura", afirmou um porta-voz do CCVE, citado pela agência oficial RIA Novosti.

 

A nave, a última da série antiga - que ainda funciona com um sistema de comando analógico, e não digital -, deixou livre o local de acoplamento do módulo de serviço da ISS, aonde em breve se acoplará a nave pilotada Soyuz TMA-16, cujo lançamento está previsto para o próximo dia 30.

 

Durante o voo da Progress, que deve durar até o dia 27, serão estudadas as características, tamanho e densidade do plasma que surge em consequência do funcionamento dos propulsores do aparelho. O experimento é realizado com ajuda de um radar especial situado na cidade siberiana de Irkutsk.

 

No próximo dia 27, a nave deixará sua órbita provisória e, após se incendiar na atmosfera, os destroços afundarão no "cemitério de naves espaciais" no Pacífico, um setor livre de navegação marítima a 3 mil quilômetros da Nova Zelândia.

Mais conteúdo sobre:
espaço Rússia ISS

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.