Papa critica 'cultura do descartável' que deixa milhões de jovens desempregados

O papa Francisco criticou a "cultura do descartável" que deixa milhões de jovens do mundo sem trabalho, especialmente nos países europeus, em uma entrevista divulgada na quarta-feira na Argentina.

Reuters

28 Novembro 2013 | 08h55

"Hoje em dia vivemos, por esse sistema internacional injusto em que o Deus do dinheiro é o centro, uma cultura do descartável, onde se joga fora os velhos e se joga fora os jovens", disse o papa na primeira entrevista exclusivamente veiculada na Argentina, seu país de origem.

"Em alguns países da Europa, não vou mencionar quais mas sabemos pelas estatísticas, há hoje em dia 40 (por cento) em um e em outro 46 por cento de desocupação dos jovens. Toda uma geração de jovens não tem trabalho", acrescentou.

Francisco já havia questionado o capitalismo sem limites por meio de um documento divulgado na terça-feira no qual estabelece um plataforma para seu pontificado e pede uma renovação da Igreja Católica.

O documento de 84 páginas, chamado exortação apostólica, é o primeiro de autoria do próprio Francisco e amplia a perspectiva que tem difundido em seus sermões e comentários desde que se tornou, no mês de março, o primeiro papa não europeu em 1.300 anos.

O canal de televisão a cabo Todo Noticias veiculou a breve entrevista realizada no Vaticano, há duas semanas, pelo diretor de cinema e senador por Buenos Aires, Fernando Solanas.

(Por Karina Grazina)

Mais conteúdo sobre:
RELIGIAO PAPA JOVENS DESCARTADOS*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.