Papa diz que fome é 'escândalo global' e pede mudança do estilo de vida

O papa Francisco condenou nesta segunda-feira o "escândalo global" da fome e pediu uma "onda de orações" internacional para chamar a atenção para o sofrimento dos necessitados e sem-teto.

Reuters

09 Dezembro 2013 | 19h45

Desde sua eleição em março, Francisco, o ex-cardeal argentino Jorge Mario Bergoglio, tem implorado com frequência a líderes mundiais para que combatam a pobreza e a crescente desigualdade.

"Nós estamos diante de um escândalo global de cerca de 1 bilhão, 1 bilhão de pessoas que ainda sofrem hoje com a fome", disse ele em uma mensagem de vídeo no lançamento de uma campanha da Caritas Internationalis, confederação de 164 entidades católicas beneficentes atuando em 200 países.

"Nós não podemos olhar para o outro lado e fingir que isso não existe. A comida disponível no mundo é suficiente para alimentar todos", afirmou.

A campanha, intitulada "Uma Família Humana - Pão e Justiça para Todas as Pessoas" começa na terça-feira quando ativistas contra a fome em todo o mundo vão rezar no mesmo instante por cerca de meia hora, com início às 15h (horário de Brasília).

O papa também pareceu pedir mudanças no estilo de vida, ao instar as pessoas a se tornarem "mais conscientes em suas escolhas alimentares, que frequentemente levam ao desperdício e ao mau uso dos recursos disponíveis para nós."

Mais conteúdo sobre:
RELIGIAO PAPA FOME CARITAS*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.