Ulises Ruiz Basurto/Efe
Ulises Ruiz Basurto/Efe

Papa prega contra violência em missa no México

Bento XVI falou para cerca de 500 mil pessoas no Parque do Bicentenário da Independência em León; nesta segunda, pontífice seguirá para Santiago de Cuba

O Estado de S. Paulo,

25 Março 2012 | 22h11

 LEÓN, MÉXICO - O papa Bento XVI pregou contra a violência e fez um apelo à fidelidade dos mexicanos a Jesus Cristo, ao celebrar missa para mais de 500 mil pessoas no Parque do Bicentenário em Silao, nos arredores da cidade de León, primeira escala dessa sua segunda viagem, de seis dias, à América Latina. Nesta segunda-feira, ele seguirá para Santiago de Cuba e, na terça, para Havana.

Aparentemente bem disposto, Bento XVI, que fará 85 anos em 16 de abril, chegou para a missa com um chapéu mexicano - oferecido por um homem quando ele percorria a multidão no papamóvil. Cerca de 250 cardeais e bispos do México e de outros países da América Latina, além de 3 mil padres, concelebraram a missa presidida pelo papa.

 

“Seu reinado (de Jesus) não consiste no poder de seus exércitos para submeter os outros pela força e pela violência”, advertiu Bento XVI, apontando para o monumento de Cristo Rei, cuja imagem é venerada pelos mexicanos no Parque do Bicentenário de León.

Lembrando o apelo dos bispos latino-americanos e do Caribe reunidos na Conferência de Aparecida, em 2007, o papa exortou os cristãos a resistir “à tentação de uma fé superficial e rotineira, às vezes fragmentária e incoerente”, para “confirmar, renovar e revitalizar a novidade do Evangelho arraigada na história dessas terras”.

Após a recitação do Angelus (anunciação do arcanjo Gabriel a Maria), Bento XVI aconselhou os mexicanos a pedir a proteção da Virgem de Guadalupe, padroeira do México e da América Latina, “nessa hora em que tantas famílias se encontram divididas e forçadas a migrar, quando muitas sofrem por causa da pobreza, da corrupção, da violência doméstica, da crise de valores ou da criminalidade”.

Bento XVI revelou aos mexicanos que seu predecessor, João Paulo II, desejou “ardentemente”, mas não pôde visitar “esse lugar emblemático da fé do povo mexicano” nas viagens que fez ao país. A cidade mexicana de Puebla, sede da 2ª Conferência do Episcopado Latino-Americano, foi em 1979 foi o primeiro destino de João Paulo II, fora da Itália, em 132 países visitados em todos os continentes.

No domingo à noite, Bento XVI se reuniria com bispos do México e do continente, entre os quais o cardeal-arcebispo de Aparecida, d. Raymundo Damasceno Assis, presidente da CNBB, após a recitação das Vésperas, na catedral de León. O papa embarca às 9h30 desta segunda para Santiago de Cuba, onde será recebido no aeroporto pelo presidente Raúl Castro. Às 17h30 (19h30 em Brasília), celebrará missa campal na Praça da Revolução Antonio Maceo. Na terça-feira, Bento XVI rezará no santuário da Virgem do Cobre, padroeita de Cuba. / AP,EFE e REUTERS

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.