Yasuyoshi Chiba/AFP
Yasuyoshi Chiba/AFP

Quênia faz história ao lançar 1º satélite de fabricação própria

Cubo 1KUNS-PF deve entrar em órbita em 18 meses e será usado em setores como meteorologia e previsão de desastres naturais

O Estado de S.Paulo

11 Maio 2018 | 17h46

NAIRÓBI - O Quênia fez história nesta sexta-feira, 11, ao lançar no espaço seu primeiro satélite de fabricação própria a partir do Centro Tsukuba, que pertence à Agência Espacial do Japão em Tóquio, informou a imprensa do país africano.

+++ Satélite de alunos de escola pública em SP é lançado ao espaço

O nanossatélite, um cubo denominado 1KUNS-PF, que pesa 1,2 kg e mede dez centímetros de cumprimento e dez de altura, é obra de cientistas da Universidade de Nairóbi, apoiados por especialistas da Agência de Exploração Aeroespacial do Japão (JAXA, na sigla em inglês), entre outros.

+++ Satélite de R$ 2,8 bilhões vira alvo de disputa judicial

Espera-se que o 1KUNS-PF esteja em órbita em 18 meses a cerca de 4 mil quilômetros da Terra. Ele será usado em setores como previsão meteorológica, vigilância da vida selvagem, elaboração de mapas de segurança alimentar e gestão de desastres naturais.

+++ Space X lança primeiros satélites de internet 

"O nanossatélite leva duas poderosas câmeras e microfones, que ajudarão a captar imagens e gravar sons antes de postá-los na internet", explicou o professor Mwangi Mbuthia, da Escola de Engenharia da Universidade de Nairóbi.

A ministra da Educação, Amina Mohamed, descreveu o lançamento do satélite, que custou cerca de € 834 mil, como um dos mais "notáveis desenvolvimentos científicos".

Até esta sexta, apenas três países da África Subsaariana contavam com satélites em operação no espaço: Gana, Nigéria e África do Sul. /EFE

Mais conteúdo sobre:
Quênia [África] Satélite Artificial

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.