Rússia adia lançamento de primeiro satélite sul-africano

Mau tempo impediu a partida do foguete Soyuz que deveria pôr em órbita seis satélites, entre eles o africano

Efe,

15 Setembro 2009 | 15h27

Devido ao mau tempo, a Rússia adiou nesta terça-feira, 15, o lançamento de um foguete Soyuz que deveria pôr em órbita seis satélites, entre eles o primeiro da África do Sul, informou a agência espacial russa Roscosmos.

 

"O lançamento foi adiado para a data reserva, 17 de setembro, devido às condições meteorológicas adversas na base de Baikonur", no Cazaquistão, explicou Aleksandr Vorobiov, porta-voz da Roscosmos, citado pela agência oficial RIA Novosti.

 

O lançamento do Soyuz estava previsto para hoje às 19h55 de Moscou (12h55 de Brasília).

 

Além do satélite sul-africano ZA-002 SumbandilaSat, o foguete deveria pôr em órbita outros quatro aparatos menores - Sterkh, UGATU-SAT, o Universitetsky-Tatyana-2 e Blits -, além de um novo satélite meteorológico, o Meteor-M.

 

Avaliado em US$ 3,5 milhões, o SumbandilaSat orbitará a cerca de 500 quilômetros acima da Linha do Equador e passará sobre a África do Sul quatro vezes ao dia.

 

O Governo sul-africano utilizará o satélite para fazer imagens que serão utilizadas para a agricultura, gestão de água e planejamento urbano, entre outros fins.

 

O SumbandilaSat deveria ter sido lançado ao espaço em 2006 também com a ajuda de um foguete russo, mas a operação foi adiada por "problemas geopolíticos", segundo porta-vozes da SunSpace, a empresa que construiu o satélite.

 

Aparentemente, os Estados Unidos não aceitaram que um foguete russo fosse posto em órbita passando por cima de seu território nacional. Por isso, a Rússia teve que cancelar a operação, mas um novo acordo assinado entre os dois países solucionou a situação em meados de 2008, quando o processo de lançamento foi reiniciado.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.